Lance Após 21 anos, Alex lembra ao L! 'noite perfeita' contra River na Libertadores

Após 21 anos, Alex lembra ao L! 'noite perfeita' contra River na Libertadores

Em 26 de maio de 1999, o Palmeiras se classificou para a final da competição continental com uma atuação irrepreensível do seu camisa 10 para vencer por 3 a 0, no Palestra Itália

Lance
Lance

Lance

Lance

"É uma noite daquelas que você coloca como uma das perfeitas dentro do futebol." A definição de Alex demonstra com clareza o que o ex-meia viveu em 26 de maio de 1999. Há exatamente 21 anos, o então camisa 10 fez dois gols e teve atuação irrepreensível na vitória por 3 a 0 sobre o River Plate, no Palestra Itália, que levou o Palmeiras à final daquela Libertadores, na qual foi campeão.

- O jogo contra o River foi algo fantástico, inesquecível, impossível de não ter as melhores lembranças. O nosso jogo foi quase perfeito. Tive uma participação individual muito boa e, coletivamente, tudo funcionou - avaliou o ex-jogador, em depoimento com detalhes e exclusivo para o LANCE!

A Libertadores era o grande projeto do clube na co-gestão com a Parmalat, iniciada em 1992. Luiz Felipe Scolari tinha chegado ao Verdão dois anos antes, assim como Alex, com a missão do título. Na semifinal do torneio continental em 1999, o Palmeiras sofreu na ida, com o goleiro Marcos fazendo milagres para evitar uma derrota pior do que o 1 a 0 no Monumental de Núñez. O River Plate contava com nomes como Berizzo, Sorín, Astrada, Gallardo e Aimar.

- O River teve as suas oportunidades na Argentina, nos venceu por 1 a 0 e acredito até que tenha ficado barato para o nosso time. O Marcão teve uma noite brilhante em Buenos Aires. Em São Paulo, o River também teve as suas chances, devido à qualidade que tinha, possuía uma equipe forte coletivamente e, individualmente, se lembrarmos os nomes, veremos que encontramos um River fortíssimo - recordou Alex.

O Palestra Itália lotado, contudo, empurrou um time que reverteu rapidamente a desvantagem. Alex recebeu passe de Zinho, controlou a bola no peito e abriu o placar com 16 minutos, em gol eleito nas contas oficiais da Libertadores como o mais importante da história do clube no torneio (veja abaixo).

Dois minutos depois do golaço do camisa 10, o centroavante Oséas sai da área para cruzar e Roque Júnior fazer 2 a 0. O River levou perigo no segundo tempo, mas, aos 42, o alívio com Alex, dominando na área e batendo com precisão, em mais um lindo lance do meia em atuação, no mínimo, próxima da perfeição.

- Executamos muito bem a estratégia do Felipe. Em 25 minutos, já tínhamos revertido a vantagem conquistada por eles no primeiro jogo. Tivemos chances atrás de chances. Após os 20 do segundo tempo, o River se atirou, obrigou o Marcos a fazer uma defesa ou outra, mas nos oferecia espaço para contra-ataques. Tivemos várias oportunidades e não concluímos. Nos minutos finais, tive a oportunidade de fazer o 3 a 0 e carimbar a nossa passagem - lembrou.

- Fomos superiores na maioria do tempo e passamos com propriedade, chegando fortes para decidir a competição e, depois, acabamos ganhando a Libertadores, que era o sonho maior daquele período. É um jogo realmente bem próximo da perfeição dentro do que buscávamos naquele momento. É um jogo inesquecível - reforçou o camisa 10 da histórica conquista.

Confira a ficha técnica da partida realizada em 26 de maio de 1999:

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 X 0 RIVER PLATE

Local: Palestra Itália, São Paulo (SP)
Data: 26/5/1999
Árbitro: Gustavo Méndez (Uruguai)
Cartões amarelos: Zinho e Arce (PAL); Berti, Lombardi e Sarábia (RIV)
Cartão vermelho: -
Gols: Alex (16'/1ºT) (1-0) e Roque Júnior (18'/1ºT) (2-0); Alex (42'/2°T) (3-0)

PALMEIRAS: Marcos; Arce, Roque Júnior, Agnaldo Liz e Rubens Júnior (Tiago Silva); César Sampaio, Rogério (Galeano), Zinho e Alex; Paulo Nunes e Oséas (Euller). Técnico: Luiz Felipe Scolari

RIVER PLATE: Bonano; Lombardi, Berizzo, Sarábia e Placente (Gancedo); Netto (Aimar), Pereyra (Pizzi), Sorín e Berti; Gallardo e Angel. Técnico: Ramón Díaz

Últimas