Lance Apesar da derrota, António Oliveira gostou da atuação do Athletico frente a LDU

Apesar da derrota, António Oliveira gostou da atuação do Athletico frente a LDU

Treinador português falou em 'plano de jogo e estratégia bem estruturados', mas reconheceu que time falhou quando 'não havia espaço para errar'

Lance
  • Lance | por Lance

Lance

Lance

Lance

O revés sofrido na última quinta-feira (12) diante da LDU em Quito pela Sul-Americana não gerou uma entrevista coletiva mais reativa ou somente com a pontuação de possíveis erros por parte do técnico do Athletico, António Oliveira, pelo contrário.

>Aplicativo de resultados do LANCE! está disponível na versão iOS

Na sua avaliação de como o jogo que terminou 1 a 0 para os equatorianos se desenvolveu, houve um respeito e aplicação dos jogadores para respeitar o que foi traçado antes da partida. Porém, sem deixar de mencionar que, em determinados momentos de um duelo como esse, as falhas podem custar o resultado.

António também garantiu que o momento é de abolir qualquer possibilidade de elencar pretextos para a derrota e pensar que, jogando na Arena da Baixada na próxima semana, o time terá a oportunidade de reverter a situação adversa.

- Foi um jogo difícil, como são todos, em circunstâncias adversas. Mas como digo sempre, não vamos nos agarrar a desculpas. Nos agarramos aos resultados e perdemos a primeira parte de um jogo de 180 minutos. Há o jogo de volta em Curitiba e temos que dar uma resposta para passar à fase seguinte, que é o nosso objetivo. Foi um jogo de acordo com aquilo que nós projetamos. O plano de jogo e a estratégia foram bem estruturados e os jogadores interpretam da melhor forma. Só que existem momentos por que todas as equipes passam em que não há espaço para errar. Todos os gols no futebol existem porque os erros existiram. Procuramos em todos os momentos estar concentrados para que não aconteçam lances como o do gol da LDU - disse o treinador.

- A confiança que eu tenho neste grupo é inabalável e na próxima quinta estaremos lá para responder da forma que nós todos habituamos as pessoas. Temos que perceber que todas as equipes têm oscilações. Esta caminhada não começou no dia 20 de abril, quando viemos jogar com o Aucas. Começou no dia 23 de outubro, quando o clube estava em uma posição muito delicada e estes mesmos jogadores e as pessoas que fazem parte deste grupo ficaram em nono lugar. Nós somos humanos, também erramos, mas vamos dar a volta por cima - completou.

Antes de jogar seu destino na competição continental em busca do bicampeonato, o Athletico volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro onde a palavra recuperação também está em pauta. Vindo de duas derrotas para Atlético-MG e São Paulo, o rubro-negro tenta quebrar a série negativa visitando o Cuiabá, no próximo domingo (15), às 18h15 (de Brasília).

Últimas