Lance Ao L!, Vinicius Vina relembra grande temporada no Ceará e comemora presença em seleção do Brasileiro: 'Incrível'

Ao L!, Vinicius Vina relembra grande temporada no Ceará e comemora presença em seleção do Brasileiro: 'Incrível'

Meia marcou 13 gols e nove assistências com a camisa do Vôzão no campeonato

Lance
Lance

Lance

Lance

A atípica temporada do futebol brasileiro de 2020, que só terminou no começo de 2021, reservou grandes surpresas. Uma delas, ou uma das maiores, foi o desempenho do meia Vinícius Vina, o maestro do Ceará.

Com grande liderança em campo, o meia foi o principal jogador do time de Guto Ferreira na temporada e marcou presença na seleção dos melhores do Campeonato Brasileiro.

Em entrevista exclusiva ao LANCE!, Vina falou sobre o feito histórico de marcar presença na seleta lista dos melhores do campeonato. Segundo o meia, a sensação é '"incrível".

#+ Real Madrid define trio dos sonhos, Manchester City mira jovem astro do futebol mundial… Veja o Dia do Mercado

- É incrível! Eu desde que cheguei no Ceará disse que queria fazer história. E mesmo com um ano conturbado na questão da pandemia, não só eu mas como todo o elenco conseguimos fazer história e bater recordes. Fico feliz de estar na história e meu desejo de ter renovado com o Ceará é que ainda quero fazer mais. Sei da dificuldade e sei que aumenta a responsabilidade. Mas me preparo não só fisicamente como mentalmente a cada dia pra assumir - afirmou.

Com 13 gols e nove assistências, Vina liderou a surpreendente campanha do "Vôzão" no Brasileirão e foi decisivo em praticamente todos os momentos chave na competição. Segundo o atleta, a maturidade foi o principal fator para a grande fase.

- Maturidade como ser humano e atleta. Mas sempre deixando bem claro que contei com a ajuda de todos no clube e da minha família. Futebol te exige manter a regularidade pra você estar sempre no topo. É o que eu procurei e consegui a temporada toda. Eu sou um cara que me cobro bastante. Como tudo na vida tem um lado bom e um lado ruim nisso. O bom que a cada dia penso e faço coisas para evoluir. O lado ruim, como sempre no futebol, é a derrota. Eu assumo muito a responsabilidade nesse quesito. Sempre penso o que podia ter feito pra ter evitado. Mas nisso há o lado que me fortalece ainda mais - explicou.

Mas não só a maturidade e o crescimento fora de campo contribuíram para a fase. Segundo o próprio meia, grandes fatores foram a alimentação, sono e o treinamento extra.

- Com certeza tudo isso. É um combo que te faz entrar em campo tranquilo. A preparação tem que ser bem feita pra você poder executar no jogo tudo que pode. Com a pandemia tive alguns momentos de reflexão muito forte e isso me fez enxergar melhor as situações e poder fazer diferente algumas coisas. Hoje me sinto muito mais atleta e preparado pra jogar em alto nível. É continuar fazendo o que venho fazendo mas nunca se dar por satisfeito. Vou sempre procurar evoluir pra manter minha regularidade - concluiu.

*Estagiário sob supervisão de Ricardo Guimarães.

Últimas