Lance ANÁLISE: Para seguir vitorioso, Palmeiras precisa que reservas entrem no ritmo dos titulares

ANÁLISE: Para seguir vitorioso, Palmeiras precisa que reservas entrem no ritmo dos titulares

Atuações dos atletas substitutos contra o Internacional mostraram necessidades do Verdão para a próxima temporada

Lance
Lance

Lance

Lance

Com o título brasileiro garantido, o Palmeiras foi derrotado pelo Internacional por 3 a 0 na última rodada da competição. Mesmo que o jogo não valesse mais nada, os reservas deixaram a desejar, não agarraram a oportunidade e mostraram um pouco a necessidade de peças mais firmes de reposição para a próxima temporada.

> Saiba quais são os clubes do Brasil com mais Libertadores disputadas

Weverton, Marcos Rocha, Gómez e Piquerez foram as ausências mais sentidas pela equipe comandada por Abel Ferreira no Beira-Rio. A falta de entrosamento entre Vinicius Silvestre, Mayke, Luan e Vanderlan ficava cada vez mais nítida à medida em que o Internacional avançava pelas pontas e chegava com perigo na área palmeirense com certa frequência.

A falta do combate bem executado por Zé Rafael também foi um ponto favorável ao adversário colorado. Atuesta entrou mal na posição e não soube como ser eficaz na saída de bola e na marcação, dando condições para os atacantes do time de Mano Menezes, que aproveitaram as "bobeadas" do colombiano. Faltou mais atenção e fechar mais as linhas do meio-campo.

Quando Bruno Tabata entrou no lugar de Gustavo Scarpa, ficou evidente que o meia precisa de um período a mais para se adaptar ao ritmo de um dos principais jogadores do Palmeiras na campanha vitoriosa no Brasileirão. O camisa 14 conta com uma versatilidade e visão de jogo que o permitem executar qualquer função proposta, ao contrário de Tabata, que ainda não se sente confiante e não sabe ser "flecha" de um "arco" já montado.

Internacional x Palmeiras - Tabata

Internacional x Palmeiras - Tabata

Lance

Tabata é lapidado para ser o substituto de Scarpa (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

> Vem, Copa do Mundo! Clique e confira a tabela do torneio

Claro que os jogadores recém-chegados ao clube e, principalmente os mais jovens, precisam de calma e um tempo considerável para trabalharem e respeitarem seus próprios processos, mas fica cada vez mais claro que apenas "um ou dois reforços" não são o bastante se o clube quiser se manter no topo das principais competições.

Na maioria das vezes, inovações e improvisações propostas pela comissão técnica deram certo, mostrando a importância do trabalho de Abel e companhia, mas há a necessidade de mais alternativas prontas para o elenco palmeirense em 2023, principalmente no setor defensivo e intermediário, onde peças são mais difíceis de serem repostas -- mas podem ou precisarão ser. Resta saber qual luta aguardará o plantel palestrino.

Últimas