Lance ANÁLISE: Fernando Santos aposta alto e Portugal prova que não depende mais de Cristiano Ronaldo

ANÁLISE: Fernando Santos aposta alto e Portugal prova que não depende mais de Cristiano Ronaldo

Dinâmico, Portugal teve sua melhor partida na Copa do Mundo sem CR7 como titular

Lance
Lance

Lance

Lance

Ao deixar Cristiano Ronaldo no banco de reservas contra a Suíça, Fernando Santos atraiu para si uma responsabilidade gigante sobre o futuro da seleção portuguesa na Copa do Mundo. A aposta do treinador em Gonçalo Ramos foi a decisão mais ousada e corajosa do Mundial, e o 6 a 1 de Portugal foi a prova cabal que a equipe pode faturar o título com CR7 não sendo mais a estrela do time, e sim um coadjuvante.

+ Artilheiros da Copa do Mundo 2022: veja lista de jogadores que marcaram

Além de barrar o astro português, dando um claro recado sobre a hierarquia no elenco, ele deixou outros “intocáveis” no banco de reservas, como João Cancelo e Rúben Neves, optando por Raphael Guerreiro e Otávio no time titular, que também se destacaram na partida.

+ Veja tabela e simule o mata-mata da Copa do Mundo

Assim, Portugal finalmente cumpriu o que o treinador tanto pediu e conseguiu ser uma equipe ofensiva e criativa, com muito dinamismo no meio-campo e uma completa anarquia em campo. Na defesa, o goleiro Diogo Costa foi um verdadeiro paredão, e Pepe, mesmo com 39 anos, mostrou que ainda tem muita gasolina no tanque, sendo um general no jogo aéreo.

A equipe portuguesa ditou o ritmo da partida e conseguiu furar o bloqueio suíço com muita facilidade, liquidando o jogo ainda no primeiro tempo. Na etapa final, os lusitanos foram inteligentes para aproveitar os espaços cedidos pelo adversário e transformaram a vitória em uma goleada histórica.

Mas o grande diferencial foi Gonçalo Ramos. Com 21 anos, o atacante não se deixou abalar pelo peso de substituir Cristiano Ronaldo e tomou conta do jogo, anotando um hat-trick e mostrando como a seleção melhora coletivamente sem o camisa 7 em campo.

Resta saber se Fernando Santos vai seguir a aposta e manter CR7 no banco contra Marrocos, algo impensável até alguns dias atrás. Independente da decisão do treinador, a grande notícia para os portugueses é a consciência e confiança que a equipe pode e sabe ganhar sem sua principal estrela.

Últimas