Alinhados fora de campo, Flu e Bota duelam na semifinal da Taça Rio

Equipes se uniram contra a retomada do Carioca no meio da pandemia e agora decidem quem irá para a final do segundo turno da competição

Flu e Bota são contra retomada dos jogos

Flu e Bota são contra retomada dos jogos

Lance

O movimento contra a retomada do Campeonato Carioca em meio à pandemia do novo coronavírus foi liderada por Fluminense e Botafogo do início ao fim. Aliados nos discursos e fora das quatro linhas neste momento, os clubes são adversários neste domingo, em confronto válido pela semifinal da Taça Rio. A partida, às 16h, no Estádio Nilton Santos. O Tricolor entra com a vantagem do empate por ter terminado como líder do Grupo B.

Leia mais: Botafogo e Flu lançam manifesto conjunto 'pelo respeito e pela vida'

Sempre que podem, jogadores e comissão técnica das duas equipe expressam o descontentamento com a retomada dos jogos. Paulo Autuori, técnico do Bota, citou a falta de clima para jogar. Odair Hellmann, do Flu, criticou o trabalho muito curto com a volta apressada. A união nos bastidores ajudou a postergar ao máximo a reestreia das equipes e aumentou o número de capítulos de uma conturbada volta do Carioca.

- O Fluminense sempre vai ter pressão quando os resultados não vem. Mas acho que agora não porque o clube defendeu uma situação que era o mínimo, todos terem bom senso. Nesse sentido não trazemos responsabilidade, porque era o certo. Mas na questão dos gols, das vitórias, aí sim, precisamos fazer melhor - afirmou o volante Yago Felipe em entrevista coletiva.

- Continuo achando um absurdo a gente ter voltado a jogar agora. Um descaso absurdo. O Botafogo tomou sua decisão de preservar o que é mais importante nesse momento que são as vidas. No fim o Campeonato Carioca vai acabar e os outros estados vão iniciar. Com isso, vamos ficar um tempo parado até o Brasileiro. Podia juntar um pouco mais o estadual com o Brasileiro. Falta bom senso e não me parece que houve. É isso que tem sido o Campeonato Carioca, com essa pressão de voltar, e a cada dia que passa a gente vê que não havia necessidade disso. A gente vê claramente algumas atitudes da federação que são de retaliação aos clubes que se opuseram - afirmou Paulo Autuori, após o empate com a Portuguesa.

Dentro do campo os dois times estão fragilizados tecnicamente e ligam os desgastes, principalmente físicos, ao pouco tempo de treinamento e três jogos realizados na última semana. O Fluminense vem de uma derrota dolorosa contra o Volta Redonda e um empate por 0 a 0 com o Macaé, em duas partidas de pouca inspiração e muitas falhas. Já o Botafogo também ficou em igualdade sem gols contra a Portuguesa no meio da semana, mas goleou a Cabofriense na reestreia.

Flu quer repetir primeiro jogo

O primeiro encontro das equipes neste ano foi pela última rodada da Taça Guanabara, no Maracanã, quando o Fluminense contou com um show de Nenê para vencer por 3 a 0. Mesmo podendo empatar para se classificar, o Tricolor enxerga uma necessidade ainda maior de vencer para recuperar a confiança interna e da torcida após dois resultados ruins.

- O jogo que tivemos contra eles foi muito bom, quase impecável. Isso nos traz confiança sim, mas sabemos que estamos nos enfrentando em outra situação. Ali foi passado, temos uma semifinal contra eles agora. Estamos vendo bastante vídeos. É uma equipe qualificada, mas também teve pouco tempo de treinamento. Espero que se repita e façamos um primeiro tempo excelente, um segundo tempo equilibrado para sair com a vitória. O Odair passou as situações, os pontos fortes, para não sermos pegos de surpresa - disse Yago.

A partida marca também o reencontro de Fred com sua maior vítima com a camisa do Fluminense. Na primeira passagem, o atacante marcou 14 gols contra o Botafogo e espera que as boas lembranças o ajudem a finalmente desencantar. Nos dois jogos que atuou até o momento, passou em branco e teve atuações ainda discretas.

Botafogo: busca por regularidade

O Botafogo teve duas atuações distintas desde o retorno do Campeonato Carioca. No retorno da competição, uma goleada de 6 a 2 sobre a Cabofriense. Depois, um empate sem gols com a Portuguesa - apesar do Alvinegro ter colocado três bolas na trave, a Lusa pressionou no final da partida.

Veja também: Jogador de futebol vira feirante após ter contrato encerrado na pandemia

Apesar da diferença técnica dos adversários - a Lusa lutou pela classificação às semifinais até a última rodada, enquanto que a Cabofriense foi a lanterna do Grupo A -, o Botafogo ainda procura atuações marcadas pela consistência. Uma novidade trazida pelo treinador Paulo Autuori desde o retorno foi um esquema com três zagueiros.

- Fizemos algumas alterações para equipe que começou já pensando em uma possibilidade de classificação e no domingo (semifinal) jogar novamente. Tivemos poucos dias de treinos. Aproveitamos para ver jogadores que normalmente não estavam sendo utilizados. Temos que ter uma noção clara do que o futuro nos espera em relação ao nosso grupo. Dentro disso, o jogo serviu bastante - afirmou o treinador, após o duelo com a Portuguesa.

Veja os 20 jogadores que mais se valorizaram em 2020 no Brasil