Lance Alemanha decide pela 14ª vez seu futuro em uma Copa do Mundo na última rodada da fase de grupos

Alemanha decide pela 14ª vez seu futuro em uma Copa do Mundo na última rodada da fase de grupos

Situação enfrentada pelos germânicos nesta quinta só não vivida em 4 vezes na história

Lance
Lance

Lance

Lance

Por mais que a situação da Alemanha na atual Copa do Mundo do Qatar chame a atenção pelo perrengue sofrido (apenas um ponto ganho em seis disputados), ela não pode ser considerada necessariamente inédita.

Das 17 vezes que a seleção germânica disputou um Mundial pelo formato de uma primeira fase de grupos classificatórios para uma fase eliminatória posterior, apenas quatro delas a equipe chegou à última rodada já classificada, sem correr riscos.


+ TUDO O QUE ROLA NO QATAR: Acompanhe o dia a dia das seleções e as notícias mais importantes da principal competição esportiva

Nas outras 13 vezes, sempre os alemães precisaram ao menos pontuar na última rodada para garantir a classificação às oitavas ou quartas de final.

Evidente que nem todas as situações foram de desespero total como neste ano ou na Copa anterior, em 2018, quando a equipe dependia de uma vitória sobre a Coreia do Sul e de uma combinação de resultados para se classificar. Na Rússia, acabou tropeçando para os asiáticos e deu adeus ao Mundial na fase inicial. É o único caso dessa lista.

Na próxima quinta-feira (1/12), às 16h (de Brasília), além de vencer a Costa Rica, os alemães precisarão torcer por um empate ou vitória dos espanhóis sobre o Japão. Se os nipônicos triunfarem, os germânicos só se classificam se tirar o saldo de sete gols do rival ibérico.

Confira as vezes em que os alemães passaram sufoco

1954 - Suíça

A equipe caiu no Grupo 2 da competição, disputada na Suíça. Pelo regulamento esdrúxulo, uma seleção só jogaria contra duas das três rivais que completariam a chave. E o sorteio tirou do caminho germânico a Coreia do Sul.

Após vencer com autoridade a Turquia por 4 a 1 em sua estreia, no dia 17 de junho, a Alemanha decidiria a sua classificação três dias depois. Mas do outro lado estava a Hungria, já apontada como uma das principais favoritas. E assim acabou atropelada: 8 a 3 para os húngaros.

Para se classificar às quartas de final, os germânicos tiveram que passar por uma eliminatória desempate extra diante da Turquia. E aí a reação começou a ser desenhada. Goleada histórica por 7 a 2. Depois de eliminar a Iugoslávia, alcançaria outro placar dilatado frente a Áustria na semifinal: 6 a 1. E na final, contra a mesma Hungria, em 4 de julho, no episódio conhecido como o 'Milagre de Berna', venceu de virada por 3 a 2.

Puskas - Hungria 8 x 3 Alemanha

Puskas - Hungria 8 x 3 Alemanha

Lance

Puskas atropela a Alemanha na primeira fase: goleada histórica da Hungria em 1954 (Foto: Fifa)


+ De lesionado a esperança: a volta por cima de Leroy Sané pela Alemanha na Copa

1958 - Suécia

No Mundial da Suécia, os alemães caíram no Grupo 1. Depois de uma estreia confortável, com vitória por 3 a 1 sobre a Argentina, bastaria vencer a Tchecoslováquia na segunda rodada. Não deu. Depois de sofrer um 2 a 0 no primeiro tempo, a equipe reagiu na etapa final, arrancando um suado empate.

Na rodada final, os germânicos jogaram com o regulamento embaixo do braço e repetiram a dose, empatando suas vezes o placar e seguraram o resultado para selar a classificação e empurrar a Irlanda do Norte para uma partida desempate com os tchecos, que conseguiram o feito de igualarem os critérios de desempate com uma humilhante goleada aplicada nos argentinos de 6 a 1. Melhor para os britânicos, que ficaram com a vaga nas quartas de final após vitória na prorrogação.

1962 - Chile

A Alemanha caiu no Grupo 2, o da morte daquela primeira fase. E a primeira rodada reservou o duelo de favoritos. Em jogo tenso, segurou o 0 a 0 com a Itália.

Na rodada seguinte, não tiveram dificuldades em bater a Suíça e contaram com uma ajuda inesperada: o Chile teve a força da torcida para vencer os italianos por 2 a 0 e garantir a sua vaga antecipadamente.

Diante de um adversário em ritmo de festa, os alemães bateram os mandantes por 2 a 0 e garantiram a outra vaga da chave.

1966 - Inglaterra

Uma última rodada apenas protocolar. Os alemães ficaram no Grupo B. Na estreia, uma goleada acachapante sobre a freguesa Suíça por 5 a 0. No segundo jogo, o empate em 0 a 0 com o outro bicho papão da chave, a Argentina, adiou as coisas. Mas a vaga veio com a vitória tranquila sobre a Espanha por 2 a 1.

1978 - Argentina

Em uma trajetória modesta, vaga veio com certo suspense. No Grupo B (de novo), os alemães estrearam com um 0 a 0 ante a temida Polônia. Na segunda rodada, uma das maiores goleadas germânicas na competição, um 6 a 0 sem piedade sobre o México.

Mesmo com o placar chamativo da última rodada, a configuração adiou a festa alemã. Os poloneses já estavam classificados, mas os germânicos tinham um confronto direto com a zebra Tunísia, que chegou a se empolgar durante àquela Copa. Mas com o regulamento debaixo do braço, o 0 a 0 garantiu a vaga.

Alemanha x Tunísia - 1978

Alemanha x Tunísia - 1978

Lance

O burocrático Alemanha x Tunísia de 1978: suficiente para sair com classificado (Foto: DFB)


+ Paulinho próximo de gigante brasileiro, Corinthians avança por lateral-esquerdo… o Dia do Mercado!

1982 - Espanha

Uma paçoca para quem advinhas o grupo da Alemanha... os alemães estrearam no Grupo 2 contra a Argélia, que estreava em Mundiais, no dia 16 de junho, em Gijón. Acabaram perdendo por 2 a 1.

Depois de uma combinação de resultados da chave (incluindo os 4 a 1 sobre o Chile, no dia 17 de junho), a última rodada reservava o encontro entre Alemanha e Áustria. Ambos entraram em campo no dia 25 de junho sabendo do resultado do dia anterior, em que os argelinos bateram os sul-americanos por 3 a 2, em um capricho do regulamento da época.

No que ficou conhecido como o 'Jogo da Vergonha', os germânicos sabiam o que fazer para se classificarem e puxarem junto os vizinhos. E assim foi feito: vitória por 1 a 0, em que a maior parte do tempo de jogo foi de toques de bola e quase nenhuma chance clara criada, sob vaias dos torcedores presentes em Gijón. O episódio manchou a campanha alemã, que terminou com o vice após derrota para a Itália na final.

1986 - México

Quatro anos depois, no México, a Alemanha também penou na primeira fase. No Grupo E, os germânicos estrearam mal empatando com o Uruguai em jogo que venciam até o final, no dia 4 de junho.

Na segunda rodada, quatro dias depois, a equipe fez a sua parte, venceu a Escócia por 2 a 1 e viu a Dinamarca, com uma das maiores gerações de sua história, aplicar um impetuoso 6 a 1 nos uruguaios e garantir a sua classificação antecipadamente.

A promessa era de jogo fácil na última rodada para os germânicos se garantirem nas oitavas de final, mas a Dinamarca mostrou que não estava para brincadeira. Venceu por 2 a 0, deixando os alemães empacados com três pontos. Para sorte deles, no jogo de fundo da chave, o Uruguai não conseguiu vencer a lanterna Escócia (ficou no empate sem gols).

E assim a Alemanha continuou sua trajetória até a final, onde encontrou o furacão Diego Maradona e não foi párea para a Argentina, saindo com mais um vice na década de ouro do futebol germânico.

Alemanha x Áustria - 1982

Alemanha x Áustria - 1982

Lance

Torcida espanhola em fúria com o 'Jogo da Vergonha' de 1982 (Foto: Reprodução)


+ Saiba os resultados que classificam a Alemanha no Grupo E da Copa do Mundo

1994 - EUA

No Grupo C, mais uma campanha protocolar. Uma magra vitória por 1 a 0 sobre a Bolívia antes do duelo mais esperado, ante a Espanha, que terminou em 1 a 1. Na primeira Copa com três pontos por vitória, uma vitória com certo clima de tensão por 3 a 2 sobre a Coreia do Sul na última jornada (estava 3 a 0 no intervalo) selou a vaga nas oitavas.

1998 - França

No primeiro Mundial com 32 seleções, a Alemanha caiu no Grupo F. Estreia com um 2 a 0 sobre os EUA. Empate em 2 a 2 com a Iugoslávia, a outra 'força' da chave. E a vaga assegurada com um 2 a 0 protocolar sobre o Irã, que podia avançar se os vencesse.

2002 - Coreia do Sul/Japão

No Grupo E, estreou com um expressivo 8 a 0 sobre Arábia Saudita. Depois ficou no 1 a 1 com a Irlanda. E tinha exatamente a mesma campanha de Camarões. Podia jogar pelo empate pelo saldo positivo, mas venceu por 2 a 0, avançou e eliminou os africanos, que passariam também com uma igualdade no marcador.

2010 - África do Sul

É de sufoco que queremos falar aqui. Pois antes do desastre russo, os alemães suaram na primeira Copa africana. No Grupo D, depois de uma goleada tranquila por 4 a 0 sobre a Austrália, caíram para a Sérvia por 1 a 0 na segunda rodada.

Para a sorte alemã, o grupo ficou embolado (todos com uma vitória e uma derrota) e reservou dois confrontos diretos na última rodada. Em um dos jogos mais tensos da história germânica nas Copas, a vitória contra Gana saiu faltando 20 minutos para acabar em um chute de Özil de fora da área (foto que ilustra essa reportagem).

2014 - Brasil

No ano em que encantaram o mundo, meteram um famoso 7 a 1 e saíram campeões, os alemães tiveram uma primeira fase discreta no Grupo G. Estrearam com um 4 a 0 sobre Portugal. Mas ficaram no empate em 2 a 2 com Gana na segunda rodada. Ficou tudo para a 'last dance' da chave. E a vaga veio após um tímido 1 a 0 sobre os EUA, onde um empate classificaria os dois.

2018 - Rússia

A maior vergonha da Alemanha em Copas. No Grupo F, a estreia foi com uma derrota por 1 a 0 sobre o México. A equipe conseguiu respirar com os 2 a 1 sobre a Suécia. Na última rodada, sul-coreanos e alemães faziam um confronto direto da esperança. Os asiáticos surpreenderam e venceram por 2 a 0. De nada adiantaria, já que os mexicanos, já classificados, tomaram 3 a 0 dos suecos e eliminou a dupla.

Alemanha x Coreia do Sul - 2018

Alemanha x Coreia do Sul - 2018

Lance

Rússia, 2018: o maior vexame alemão em Copa do Mundo (Foto: Fifa)


​> Confira a tabela e simule resultados da Copa do Mundo-22 do Qatar
> Conheça o novo aplicativo de resultados do LANCE!

Chegou à última rodada classificada:

1970 - México
1974 - Alemanha Ocidental (foi campeã)
1990 - Itália (foi campeã)
2006 - Alemanha

Últimas