Lance Adversário do Palmeiras, Goiás foi pioneiro na introdução do reconhecimento facial no Brasil

Adversário do Palmeiras, Goiás foi pioneiro na introdução do reconhecimento facial no Brasil

Clube paulista anunciou nesta semana que, pela primeira vez, 100% do estádio usará a tecnologia nos dois próximos jogos no Allianz

Lance

Na última quinta-feira (4), o Palmeiras anunciou que o novo sistema de reconhecimento facial para acesso ao Allianz Parque estará em funcionamento em todos os setores do estádio somente para sócios Avanti e torcedores comuns. Desta maneira, será a primeira vez que 100% dos torcedores que comprarem ingressos terão acesso por meio do sistema de biometria facial. As únicas exceções ainda são nas operações pertencentes aos camarotes e nos ingressos adquiridos pelo programa de fidelidade do Allianz Parque.

+ Veja tabela e classificação do Brasileirão-2023 clicando aqui

Os setores destinados ao reconhecimento facial são: Gol Sul, Central Oeste, Superior Sul e Superior Oeste (Portão A), Gol Norte, Superior Norte e Superior Leste (Portão B) e Central Leste (Portão C), além do setor Visitante (Portão D) – os demais palmeirenses que utilizam outro serviço para entrar na arena alviverde não passarão pela biometria facial.

Os primeiros testes do Palmeiras com esse novo sistema começaram inicialmente no clube social, no final de 2022, e a partir de janeiro em alguns setores do Allianz Parque. Ainda em fase de implementação, será a primeira vez que todos os setores serão testados.

Antes do Palmeiras, um outro Verdão foi pioneiro nesta implementação, justamente o adversário da equipe paulista na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Goiás. A equipe esmeraldina, que recebe o Palmeiras neste domingo (7), no estádio Hailé Pinheiro, às 18h30, foi a primeira equipe brasileira a adotar a tecnologia ainda em outubro de 2022. A primeira vez que colocou em práticas as câmeras de reconhecimento nas catracas da Serrinha foi em partida contra o Corinthians, pelo Brasileirão, em 29 de outubro do ano passado.

Neste ano, após os resultados obtidos, adotou em definitivo a utilização do sistema no Estádio Hailé Pinheiro a partir dos primeiros jogos da temporada pelo Campeonato Goiano.

+ Goiás x Palmeiras: onde assistir, prováveis escalações e desfalques do jogo pelo Brasileirão

Paulo Rogério Pinheiro, presidente do Goiás, destacou que a medida será permanente, sendo utilizada em todos os jogos da equipe na capital goiana.

- A segurança do torcedor esmeraldino é prioridade para o clube. Decidimos implementar o reconhecimento facial no ano passado, por entender que é um projeto que traz muito mais segurança para os torcedores irem aos jogos com suas famílias e crianças. O sistema funcionou bem e, agora, em 2023, ele será usado em todas as nossas partidas no estádio Hailé Pinheiro.

Além do reconhecimento facial nas catracas de acesso, a Serrinha conta com vigilância por câmeras de superzoom em seu interior, capazes de identificar qualquer torcedor presente no estádio, sem contar as lentes instaladas em capacetes utilizados pelos seguranças particulares contratados pelo clube. Assim, qualquer atitude indevida nas arquibancadas pode ser gravada e armazenada para reconhecimento e identificação do infrator, que poderá ser punido e até mesmo impedido de entrar em outros jogos do time.

- É algo que prezamos muito, o conforto e a segurança do nosso torcedor e de qualquer visitante em nossa casa. O Goiás decidiu investir na tecnologia do reconhecimento facial por entender que é algo pioneiro, que vai auxiliar muito e trazer cada vez mais torcedor para os jogos. A família se sentirá mais segura e tranquila para frequentar as praças esportivas e é isso que queremos disponibilizar ao nosso torcedor - avaliou Tiago Pinheiro, diretor de marketing do Goiás e que atua diretamente no trabalho de modernização do estádio.

- Acredito que podemos ser uma referência nessa questão. Neste começo de temporada mesmo vimos o Palmeiras seguindo o nosso exemplo. Acho que estamos no caminho certo. Não mediremos esforços para ajudar o futebol brasileiro a se modernizar, principalmente em termos de segurança nas arenas - acrescentou.

Últimas