Lance Abel para presidente e 15 horas de viagem: torcedores do Palmeiras se destacam em Dérbi

Abel para presidente e 15 horas de viagem: torcedores do Palmeiras se destacam em Dérbi

Nos arredores do Allianz Parque, o LANCE! conta a história de três palestrinos

Lance
Lance

Lance

Lance

Qualquer estádio de futebol é um ambiente de muitas histórias, e na última quinta-feira (17) o Allianz Parque foi um local repleto delas. E era de se esperar, tamanha a magnitude de um clássico entre Palmeiras e Corinthians.

A vitória palmeirense por 1 a 0, pela sexta rodada do Campeonato Paulista, fez em especial quatro torcedores alviverdes de cantos distintos do país: Ernesto, de Santo André, no ABC Paulista, bem próximo a São Paulo, e o trio João, Jorge e Valter, de Blumenau, em Santa Catarina.

Somente a história do trio catarinense se cruza, mas a paixão entre eles e o andreense pelo Verdão, é a mesma.

> TABELA - Confira e simule os próximos jogos do Verdão no Paulista
> GALERIA - Veja o quanto em prêmios o Palmeiras ganhou com Abel

SEO ERNESTO

Era pouco mais de quatro horas antes da bola rolar para o Dérbi e a reportagem do LANCE! já estava no Allianz Parque para entrar no clima do jogo. Em meio a algumas voltas no estádio, um senhor de cabelo volumoso e barbas grandes chamou a atenção com um cartaz que pedia Abel Ferreira, técnico do Palmeiras, como presidente do Brasil.

Seo Ernesto Zanuto, de 75 anos, nasceu na Região Metropolitana de São José do Rio Preto, próximo a cidade de Catanduva, mas logo aos seis meses de idade se mudou para Santo André, onde nunca saiu.

O senhor se apresenta uma pessoa de pouco estudo, mas muita cultura. Diz não ter frequentado a escola com frequência, mas sempre gostou de ler.

De descendência italiana, Seo Ernesto se diz um admirador da cultura portuguesa e alguém que valoriza a colonização lusitana no Brasil, o que já gerou a sua simpatia com Abel Ferreira.

- Tiveram muitos problemas, como a escravidão, mas precisamos ser gratos ao que os portugueses fizeram no Brasil, trazendo a educação, a cultura - disse Ernesto ao LANCE!.

Não demorou muito para que o senhor do ABC Paulista ganhasse destaque em meio a um mar verde de torcedores palmeirenses, foram 39.511 no Allianz Parque no ano, o que registrou o melhor público do estádio em 2022.

A cada minuto Seo Ernesto era parado para tirar foto ou via alguém celebrando os dizeres da sua faixa, pedindo Abel Ferreira para presidente do Brasil, e até compôs uma música em homenagem ao treinador palmeirense.

“Abel é um menino legal
Abel é um menino conquista
Abel veio ajudar
Esse time paulista

Abel é um menino legal
Abel é um menino da Beira
Abel veio amar
Esse nosso Palmeiras”

TRIO DE BLUMENAU

Sem faixa, mas com o mesmo amor pelo Palmeiras, João Santo, 36, que é engenheiro civil, o empresário Jorge de Almeida, 52, e Valmir Custódio, 68, que é aposentado, saíram de cidade catarinense de Blumenau às 22h da quarta-feira (16), véspera do Dérbi, e chegaram em São Paulo às 14h, de quinta-feira (17), seis horas e meia antes do apito inicial.

João, Jorge e Valmir viajaram 15 horas de Blumenau-SC até SP para assistir o Dérbi

João, Jorge e Valmir viajaram 15 horas de Blumenau-SC até SP para assistir o Dérbi

Lance

João, Jorge e Valmir (foto) viajaram 15 horas de Blumenau-SC até SP para assistir o Dérbi (Fábio Lázaro/Lancepress)

Jorge e Valmir são genro e sogro, respectivamente, enquanto João é amigo de Jorge.

A ida ao clássico entre Palmeiras e Corinthians foi a primeira vez de João no estádio palmeirense. Já a dupla de parentes foi ao Allianz pela segunda vez.

Pra Jorge e Valmir, inclusive, fazer a 'via crucis' entre Blumenau e São Paulo dependia apenas da logística financeira, já que Jorge, por ser empresário, tem flexibilidade em suas ocupações profissionais, e Valmir é aposentado.

Já João afirma que para viajar para a capital paulista para ver de perto o Verdão jogando em casa é necessária uma liberação no emprego.

- Quando é campeonato paulista a gente consegue ter a tabela com antecedência, e um, dois, meses antes falar na empresa que vou precisar de dois, três dias, para viajar até São Paulo para assistir o Palmeiras. No Campeonato Brasileiro também dá, mas como a tabela sofre muita alteração, é difícil correr o risco de pedir uma data e do nada o jogo mudar de dia - explicou João.

O trio chegou a assistir o Verdão em algumas cidades do circuito da região sul, como Florianópolis, Chapecó e Curitiba, mas agora têm como objetivo ir mais vez a São Paulo, assistir clássicos também contra a dupla Santos e São Paulo, e principalmente ver o Palmeiras campeão in loco.

- Fomos em todos os jogos contra os catarinenses. O Avaí agora volta. Mas também fomos ver contra o Figueirense, Criciúma, em Chapecó. Também fomos para Curitiba, que é perto. Agora queremos ver outros clássicos em São Paulo. Eu queria ter ido para Montevidéu (final da Libertadores do ano passado), mas ficou inviável financeiramente. Mas ainda sonho em ver o Palmeiras campeão aqui no estádio - disse João apontando e remetendo ao Allianz Parque.

E esse sonho pode se tornar realidade ainda esse ano, pois o triunfo no Dérbi rendeu ao Palestra a melhor campanha da primeira fase do Paulistão, o que significa que o clube alviverde, avançando com vitórias nas quartas de final e semifinal terá a vantagem de decidir o Estadual em casa, e, embora a liberação de João não seja com um mês de antecedência, ele poderá insistir para fazer novamente 15 horas de viagem para sair de Blumenau e ir

E se ele precisar de uma força para garantir a liberação na empresa, pode chamar o Seo Ernesto, que ele erguerá uma placa na porta do Allianz Parque, ou intercederá ao presidente Abel Ferreira.

Últimas