Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Abel lamenta calendário apertado antes da final do Paulistão pelo Palmeiras: 'Melhor eu ficar calado'

Treinador do Verdão criticou a organização dos eventos, mas afirmou que 'precisa aceitar'

Lance|

Lance
Lance Lance

O Palmeiras viajou até La Paz, na Bolívia, para enfrentar o Bolívar na estreia da Libertadores. O Verdão acabou sendo derrotado por 3 a 1, de virada, no estádio Hernando Siles, na noite da última quarta-feira (05). Além de reclamações contra a arbitragem do jogo e a altitude, o técnico Abel Ferreira fez duras críticas ao calendário apertado. Neste mês de abril, o Verdão vem enfrentando uma maratona de jogos, com partidas praticamente de três em três dias.

> Confira a tabela com os grupos da Libertadores clicando aqui

Com o time reserva e estreia dos reforços, o Alviverde saiu na frente no placar, mas acabou sofrendo a virada ainda no primeiro tempo. Abel e sua comissão decidiram poupar os jogadores titulares, que sequer viajaram com a delegação, justamente visando a final do Paulistão diante do Água Santa, que acontece já neste domingo (09), às 16h, no Allianz Parque.

- Infelizmente a Conmebol só lançou o calendário uma semana antes e nós temos que organizar essa viagem aos três pontapés. É melhor eu ficar calado, não posso dizer tudo aquilo que penso sobre a organização dos eventos. Há coisas que preciso aceitar como todos os outros fazem, sempre foi assim e vamos continuar assim - desabafou Abel Ferreira.

Publicidade

- Não dá para nós termos uma final entre domingo e domingo com um jogo em La Paz. Nós pedimos lá para jogar no sábado, também não deixaram. Vamos dar o nosso melhor como sempre fazemos, dar os parabéns aos meus jogadores porque se entregaram mesmo com várias condicionantes no jogo que influenciaram o resultado.

> Guia Palmeiras: veja análise dos adversários, onde assistir e tudo sobre o Verdão na Libertadores

Publicidade

Entre os 23 jogadores que foram relacionados para o confronto diante do Bolívar, 15 são atletas formados na base do Palmeiras, evidenciando que a maratona de jogos em sequência devido ao calendário apertado 'obrigou' Abel a rodar o elenco priorizando jogos.

O Palestra jogou contra os bolivianos em uma altitude de mais de 3.600m acima do nível do mar, o que incomodou bastante os jogadores e o próprio treinador português, que falou sobre o assunto na entrevista coletiva após o duelo. O atacante Artur, que fez sua reestreia com a camisa alviverde, afirmou que a falta de ar foi a principal dificuldade da equipe na partida.

Publicidade

- Sentimento muito bom de reestrear, não foi das melhores por causa da derrota, mas estou muito feliz por estar no Palmeiras. Estou realizado e espero dar a resposta para a torcida palmeirense. A principal dificuldade foi a falta de ar mesmo, a gente procura e não acha, mas é isso. O Palmeiras é na dificuldade, agora é reerguer e fazer um bom jogo domingo e no restante da temporada - disse Artur ao GE.

Após a derrota na estreia da Libertadores, o Palmeiras volta a campo neste domingo (08), às 16h, diante do Água Santa pela partida de volta da final do Paulistão. Na ida, o Alviverde perdeu por 2 a 1 e agora, no Allianz Parque, busca reverter o resultado.

> Mayke deixa o estádio mancando e pode virar mais um desfalque para o Palmeiras

O Verdão precisa vencer por um gol de diferença para levar a disputa para os pênaltis ou por dois para se consagrar bicampeão estadual evitando as penalidades. O time de Diadema tem a vantagem do empate.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.