Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Abel Ferreira analisa vitória do Palmeiras e revela conversa com Rony: 'Quero o Guerreiro, não o Rústico'

Treinador do Verdão falou com o camisa 10 na manhã desta quarta-feira e tratou do jejum de gols que acabou sendo quebrado

Lance|

Lance
Lance Lance

O Palmeiras conquistou uma importante vitória por 3 a 0 sobre o Cerro Porteño, em Assunção, nesta quarta-feira (24), pela Libertadores. Além dos três pontos, o torcedor alviverde comemorou a quebra de jejum de Rony, que não marca um gol há 11 partidas. Essa "zica" do camisa 10 foi tirada também com a ajuda de Abel Ferreira, que revelou uma conversa com o atacante na parte da manhã.

+ Veja tabela e classificação da Libertadores-2023 clicando aqui

Em entrevista coletiva após o jogo, o treinador alviverde contou o papo que teve com Rony sobre o jejum que durava desde o dia 11 de março. Segundo o português, o diálogo foi muito simples e buscou puxar de seu atleta nada mais do que ele sabe que pode fazer. O pedido foi para deixar um pouco o "Rústico" de lado e trazer mais o "Guerreiro".

+ Não perca nenhum lance do Verdão na Liberta. Assine o Star+ por apenas R$40,90 por mês e torça onde quiser!

Publicidade

- O Rony é como todos os atacantes, tem momentos muito inspirados, outros não inspirados, como foi aquela oportunidade que ele perdeu no primeiro tempo. Se estivesse no treino, lhe dava uma sapatada e falaria "não pode falhar nisso". Mas ele trabalha muito, a única coisa que eu pedi, falei com ele, que na nossa vida a gente está sempre em busca de desculpas, quando estamos em uma situação assim, olhamos mais fora do que dentro. Eu só lhe fiz uma pergunta hoje de manhã: "você está fazendo tudo?", para não se preocupar, olhar primeiro para dentro. "Se você for Rony, não o Rústico, o Guerreiro, o gol vai aparecer de forma natural. Eu não quero o Rony Rústico, eu quero o Rony Guerreiro" - disse Abel antes de completar:

- Os gols aparecem de forma natural, uma hora ou outra. Ficamos feliz por ele, pela forma que os colegas comemoraram o gol dele, porque ele trabalha muito, vocês sabem que ele quebrou o braço, ele não comemorou o gol com a cambalhota, porque ele não está 100%. Mas feliz, feliz por ele, pela equipe, nossos jogadores merecem pelo quanto se dedicam e mais uma vez é um orgulho ser treinador desse grupo de caráter, de homens.

Publicidade

+ ATUAÇÕES: Rony é 'garçom' e encerra jejum de gols em vitória na Copa Libertadores

Abel Ferreira também comentou a vitória do Palmeiras por 3 a 0, que encaminhou a classificação para as oitavas de final da Libertadores. Para o comandante do Verdão, a vida do time foi facilitada pela expulsão de um dos jogadores do adversário. No entanto, o técnico acredita que a equipe pecou ao não aproveitar as oportunidades do primeiro tempo para ir para o intervalo com um placar mais elástico.

Publicidade

- Acho que foi um jogo que ficou do nosso jeito depois da expulsão de um de nossos adversários. Era um jogo difícil, mas com um a mais, acho que o jogo poderia ter sido resolvido no primeiro tempo. Deveríamos, com as oportunidades que criamos, ter mais calma, ir para o intervalo com um resultado mais gordo, mas isso não aconteceu. Na segunda etapa, com mais calma, na nossa forma de atacar e de defender, subimos o Veiga para não deixar o nosso adversário gostar do jogo e foi uma vitória justa, mas que foi facilitada pela expulsão.

O Palmeiras foi a nove pontos no Grupo C da Libertadores, mas fica na segunda posição, pois perde para o Bolívar-BOL, que tem os mesmos nove pontos, no saldo de gols (6 a 4). Neste domingo, em Belo Horizonte, o Verdão volta a campo para enfrentar o Atlético-MG, pelo Brasileirão.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.