Esportes Ketleyn Quadros fica em 5º no Mundial de Judô e garante vaga olímpica

Ketleyn Quadros fica em 5º no Mundial de Judô e garante vaga olímpica

A judoca Ketleyn Quadros entrou para a história do esporte brasileiro ao se tornar a primeira mulher a conquistar uma medalha olímpica em uma modalidade individual, nos Jogos de Pequim-2008. Treze anos depois, a atleta brasiliense voltará a disputar uma edição da Olimpíada, em Tóquio, neste ano. Sua vaga foi garantida nesta quarta-feira, no Mundial de Budapeste, na Hungria.

Na última competição que vale pontos para o ranking olímpico, a veterana brilhou no tatame e obteve o quinto lugar na categoria até 63kg, o suficiente não apenas para obter a vaga em Tóquio como também para ficar entre as cabeças de chave - vai evitar, assim, as favoritas nas primeiras rodadas nos Jogos.

"Estar lutando durante todos esses anos é muito amor à modalidade. Eu saio muito feliz desse Campeonato Mundial. Apesar da medalha não vir, eu saio feliz. Inclusive, me emocionei em todas as lutas, porque é uma conquista muito grande. (Ser) uma atleta veterana, me sentir evoluindo, crescendo, tendo meus principais resultados da minha carreira é muito importante, porque, antes de qualquer pessoa acreditar, eu acreditei muito", disse a judoca de 33 anos.

Ketleyn Quadros se destacou nacional e internacionalmente ao faturar a medalha de bronze em Pequim-2008, então com apenas 20 anos. Depois do grande feito, não conseguiu as vagas para as Olimpíadas de Londres-2012 e do Rio-2016. Também não conseguira repetir em Mundiais o resultado conquistado na China. Até esta quarta, seu melhor resultado nestas competições era o sétimo lugar em 2017, em um Mundial também disputado em Budapeste.

A judoca chegou ao Mundial deste ano no embalo do vice-campeonato obtido no Grand Slam de Kazan, na Rússia, em maio. Ela estreou vencendo a kosovar Laura Fazliu nas punições. Nas oitavas, bateu a americana Alisha Galles por ippon. Nas quartas, porém, foi superada pela eslovena Andreja Leski. Mas, na repescagem, derrotou a húngara Szofi Ozbas.

Conquistou, assim, o direito de disputar a medalha de bronze. Ela começou bem, mas levou a virada da holandesa Sanne Vermeer. A rival dez anos mais jovem levou o bronze. A brasileira, contudo, evitou lamentar. "É muito difícil ter controle de toda essa emoção, da tomada de decisão. Mas, é um aprendizado gigante e, sem dúvidas, muito importante para mim nesta fase. Só de estar aqui para mim já foi muito desafiador."

O quinto lugar obtido por Ketleyn Quadros nesta quarta é o melhor resultado da seleção brasileira no Mundial até agora - a competição começou no domingo. Outros três judocas do País competiram nesta quarta, mas não chegaram a brigar por medalhas: Aléxia Castilhos (até 63kg), Eduardo Yudy Santos e Guilherme Schimidt (ambos até 81kg).

Nesta quinta-feira, os brasileiros que vão entrar no tatame são Maria Portela (até 70kg) e Rafael Macedo (até 90kg).

Últimas