Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Washington fala ao ‘Jogada 10’, relembra ‘injustiça’ em 2008 e dá dicas ao Fluminense contra o Boca

Ex-atacante tricolor diz que estará no Maracanã apoiando o time no sábado

Jogada 10

Jogada 10|Do R7


Antonio Scorza/AFP via Getty Images
Antonio Scorza/AFP via Getty Images

A final da Libertadores entre Fluminense x Boca Juniors será disputada no próximo sábado, 4, e é impossível não lembrar da decisão do torneio de 2008, vencida pela LDU sobre o Tricolor das Laranjeiras, em disputa de pênaltis, no Maracanã (3 a 1 para os equatorianos após vitória do Flu por 3 a 1 no tempo normal). Um dos protagonistas daquela campanha, o atacante Washington falou com o “Jogada 10” e reafirmou a sua visão de que o time carioca foi “roubado” naquela final.

E o pênalti?

O Coração Valente reclama de um pênalti não marcado pelo árbitro argentino Hector Baldassi, o que poderia ter mudado completamente o rumo do confronto. Washington acredita que, se houvesse o auxílio do VAR, a história seria outra. Porém, ele vai além, e afirma que o erro foi tão grosseiro que nem sequer era necessário o árbitro de vídeo.

“Aquele pênalti nem precisava de VAR, mas, se tivesse o recurso, o juiz teria corrigido com auxílio do VAR. Fomos muito prejudicados. Isso eu sei porque vivi na pele, senti muito. Quem sabe hoje o Fluminense estaria brigando pelo bi”, disse Washington.

O eterno Coração Valente, como era conhecido em seus tempos de jogador, estará no Maracanã torcendo pelo Fluminense na final da Libertadores. Ao ser perguntado sobre dicas para o time, ele diz que é preciso ter calma e abrir o olho com o gigante argentino.

Publicidade

“O Fluminense tem que respeitar o Boca. Está jogando em casa, dá para dizer, leva vantagem na decisão. O Fluminense vai impor seu estilo, com 60% de posse de bola para cima. Já o Boca vai jogar por uma bola, vai catimbar. Se o Boca sair na frente, é muito difícil virar. Tem que ter cuidado”, disse.

Washington diz que final em jogo único beneficiaria o Fluminense em 2008

O formato de disputa da final da Libertadores mudou ao longo do tempo. Em 2008, a decisão era disputada em dois jogos. Na ida, a vitória foi da LDU, por 4 a 2, na sempre complicada altitude de Quito, no Equador. Na volta, no Maracanã, o Fluminense venceu por 3 a 1 no tempo normal, mas perdeu pelo mesmo placar na disputa de pênaltis. Hoje, porém, a final é em jogo único. Washington acredita que o atual modelo beneficiaria o Tricolor em 2008.

Publicidade

“Acredito que se tivéssemos mais 20 finais, levaríamos 19. Mas perdemos a que valeu. Esse formato de jogo único acredito que nos beneficiaria sim, a não ser que fosse na altitude”, disse o ex-jogador.

E o palpite para o jogo, Washington?

O ex-atacante acredita que o Fluminense será campeão da Libertadores 2023 e dá seu palpite para o jogo de sábado.

Publicidade

“Vai ser 2 a 1 para o Fluminense. Sofrido, não tem como ser diferente (risos). Vou estar no estádio e torcer”, contou.

Washington teve duas passagens pelo Fluminense, uma em 2008 e outra em 2010, quando foi campeão do Campeonato Brasileiro. Na campanha da Libertadores, ele foi decisivo contra o São Paulo, marcando dois gols na vitória de 3 a 1, nas quartas de final, e também deixando sua marca contra o Boca, com um lindo gol de falta na vitória de 3 a 1 pela semifinal.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.