Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

VP jurídico do Vasco comenta possível afastamento de diretores da 777: ‘Impacto direto’

Imprensa norueguesa diz que Josh Wander e Steve Pasko saíram conselho de futebol do grupo. Dupla faz parte da administração da SAF...

Jogada 10

Jogada 10|Do R7

Foto: Marcelo Wance/Vasco da Gama

A notícia de um possível afastamento de Josh Wander e Steve Pasko do conselho de futebol da 777 Partners caiu como uma bomba em São Januário. Membros da SAF do Vasco, eles enfrentam um momento delicado na Justiça. Recentemente, aliás, a Premier League vetou que o grupo comprasse o Everton, por exemplo.

Até o momento, a SAF do Vasco não se pronunciou e tampouco confirmou o afastamento da dupla. Ao Jogada10, porém, Felipe Carregal Sztajnbok, vice-presidente jurídico do clube associativo cruz-maltino, analisou o caso e demonstrou apreensão.

“A 777 não respondeu nossos últimos questionamentos. Estamos ainda mais preocupados com essas notícias recentes que informam o afastamento de Josh Wander e Steve Pasko do grupo 777. Caso confirmados o afastamento dos controladores do futebol e a falência ou grave comprometimento financeiro da 777, teremos um impacto direto na situação do Vasco SAF. Além do comprometimento do aporte de setembro, a operação da SAF seria seriamente atingida neste momento. Seja porque o Josh é o presidente do Conselho de Administração do Vasco SAF, seja porque o Pasko, em tese, é o controlador final do futebol”, disse o VP jurídico.

Publicidade

Processo nos Estados Unidos

Segundo informou o jornal inglês Financial Times, além da falha na aquisição dos Toffees, a 777 responde processo na Justiça dos Estados Unidos por fraude. Um memorando obtido pelo jornal revela que a 777 contratou profissionais da B Riley Advisory Services, empresa consultora de finanças. A intenção é auxiliar na gestão de “desafios operacionais”.

Publicidade

A extensa matéria da “Josimar Football” explica que esse processo, movido pela Leadenhall, foi a gota d’água para a situação da 777. O processo por fraude e penhora dupla de 350 milhões de dólares em ativos da empresa, uma das principais credoras da dona de 70% das ações da SAF do Vasco. Há fortes acusações de que a empresa estaria em um “jogo gigante e esquema Ponzi”. Dessa forma, o Everton seria apenas “o mais recente objeto brilhante do esquema fraudulento de Wander”.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.