Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Vasco reencontra Bragantino após permanência; o que mudou desde então?

Quatro meses após tensa última rodada do Brasileirão, veja o que aconteceu de bom e ruim no time de São Januário

Jogada 10

Jogada 10|Do R7

Foto: Leandro Amorim/Vasco

O Vasco volta a campo pelo Campeonato Brasileiro na noite desta quarta-feira (17), quando enfrenta o Red Bull Bragantino, pela segunda rodada. E o jogo representa o reencontro das duas equipes após a última rodada do Brasileirão 2023, terminada em festa em São Januário.

Foi na 38ª rodada, quando o Vasco precisava apenas de uma vitória para garantir matematicamente a permanência na Série A para 2024. Em um jogo dramático, recheado de emoção e tensão, o Cruz-Maltino venceu por 2 a 1, graças a gol tardio de Serginho, aos 37′ do segundo tempo e conquistou o objetivo.

Mas o que mudou desde então? A expectativa da torcida era de um time mais forte para não precisar sofrer tanto no atual ano quanto foi no passado. Entre novo presidente, chegada (e saída) de Alexandre Mattos e dez contratações, veja o que aconteceu desde o fatídico jogo do dia 6 de dezembro de 2023.

Pedrinho empossado

Publicidade

Eleito presidente do Vasco em novembro de 2023, o ídolo Pedrinho só tomou posse no dia 22 de janeiro. Desde então, muita luta pela reforma de São Januário e alguns embates com a 777, dona de 70% da SAF do Vasco.

Em entrevista recente, o presidente do clube associativo (dono dos outros 30% da SAF) revelou estar “estranhando” a distância da cúpula da 777 Partners, já que ele considera que pode contribuir com decisões de planejamento por sua experiência no futebol e, claro, identificação com o Vasco.

Publicidade

LEIA MAIS: Vasco divulga relacionados para jogo em Bragança; Payet fora

Alexandre Mattos chega e sai

Publicidade

A torcida do Vasco criou boa expectativa para a temporada 2024, visto que o clube anunciou, ainda em dezembro, a chegada de Alexandre Mattos. O diretor de futebol é dos mais renomados no país e é conhecido por ser agressivo no mercado.

Como a SAF vascaína tinha mais de R$ 100 milhões para contratações, a esperança era de reforços de nomes. A montagem do elenco em si, porém, não agradou não só à torcida, como também à comissão técnica, chefiada pelo treinador Ramón Díaz.

Desencontros em negociações, a ausência de um volante estilo “camisa 5” para o meio-campo e o comportamento de Mattos minaram o trabalho, que durou 101 dias – relembre como foi sua passagem com mais detalhes.

Eliminação no Carioca e desconfiança

Se até o fim da Taça Guanabara o time demonstrou bom futebol, depois, por outro lado, as coisas começaram a degringolar em São Januário. Apesar de um grande primeiro tempo, a equipe deu um susto na torcida no jogo contra o Água Santa, pela Copa do Brasil.

Abriu 2 a 0, mas sofreu a virada e quase foi eliminado. Lucas Piton, porém, salvou a lavoura e levou o jogo para os pênaltis, onde o Vasco carimbou a vaga na terceira fase, evitando repetir o fantasma de 2023, quando também caiu nos pênaltis, em São Januário, na segunda fase.

Depois, dois jogos abaixo da expectativa diante do Nova Iguaçu, que fez história ao vencer o Cruz-Maltino em pleno Maracanã (1 a 0) e garantir vaga na decisão do Carioca. Quatro dias depois, Alexandre Mattos deixou o clube.

Intertemporada e boa estreia

Após a eliminação e a turbulência da saída de Mattos, o Vasco focou no próprio elenco. Aproveitando, assim, os 27 dias entre jogos para reforçar o vigor físico de seus atletas e azeitar pormenores táticos.

O esforço vingou, pelo menos na estreia no Brasileirão. No domingo (14), com São Januário lotado, o Gigante da Colina venceu por 2 a 1 e estreou com o pé direito no torneio. Além disso, a iminente chegada de Hugo Moura, o tal volante marcador, ajudou a acalmar a torcida vascaína.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.