Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Tamires fala sobre estilo agressivo da Seleção Brasileira feminina

Lateral/ala concedeu coletiva nesta segunda-feira (8), onde falou sobre sua função ofensiva e sobre inspiração às crianças brasileiras...

Jogada 10

Jogada 10|Do R7


Foto: Lucas Bayer/Jogada10

A lateral/ala-esquerda Tamires concedeu coletiva de imprensa após o treino da Seleção Brasileira feminina desta segunda-feira (8), na Granja Comary, onde a equipe se prepara para a disputa dos Jogos Olímpicos de Paris. Aos jornalistas presentes, a camisa 6 da Canarinho falou sobre questões táticas, seu posicionamento sob o comando de Arthur Elias e sobre o carinho das crianças no CT.

Para a craque de 36 anos, uma das qualidades que a Seleção apresenta é o estilo agressivo, no esquema “pressão pós-perda”. Segundo Tamires, isso também ajuda defensivamente falando.

“Conhecendo o modelo de jogo que pode fazer com que a gente fique bem defensivamente é nessa questão de atacar e, se perder a bola, já ter um pós-perda rápido e já estar compactado. Acho que essa é uma das qualidades que eu vejo nesse trabalho do Arthur e da comissão. É a gente querer a bola o tempo inteiro e estar bem agressivo para que a gente consiga roubar essa bola mais perto do campo do adversário e finalizar a gol”, avaliou a jogadora.

LEIA MAIS: ‘Dói para muita gente ver as 5 estrelas no nosso peito’, desabafa Andreas Pereira

Publicidade

Tamires também discorreu, então, sobre seu posicionamento na Seleção. Podendo atuar tanto na lateral-esquerda, quanto na ala, a jogadora se colocou à disposição de Arthur Elias para qualquer uma das funções.

“Meu papel, o Arthur tem sim me colocado mais ofensiva, tem algumas variações táticas de eu jogar como ala, ou no 4-4-2. Então eu quero me preparar a todo momento para estar disponível da forma do Arthur achar melhor”, revelou.

Publicidade

Inspiração para crianças

A jogadora do Corinthians comemorou o carinho recebido por parte das crianças que assistem aos treinos na Granja Comary. Ela avalia que a estrutura do futebol feminino hoje em dia pavimenta um caminho diferente do que ela viveu quando dava seus primeiros passos, aliás.

Publicidade

“Para mim é incrível sentir o carinho das crianças, saber que hoje tem muitas meninas querendo ser jogadoras de futebol e vão ter a oportunidade de jogar com outras meninas. Na época que eu comecei não tinha estrutura para isso. Claro que a gente precisa melhorar em muitas coisas, mas a gente está vendo as coisas acontecendo e isso tem sido muito importante. Meninos também se inspiram na gente. A Seleção Brasileira, todas nós, vem fazendo um trabalho incrível e é muito gostoso inspirar essas meninas, independente da idade”, disse.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.