Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

STJD suspende John Textor por não entregar provas de manipulação de resultados

Dono da SAF do Botafogo entende que STJD não tem competência para julgar o caso na esfera criminal e vai ao Ministério Público

Jogada 10|

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) suspendeu, nesta quinta-feira (14), de forma preliminar, o acionista majoritário do Botafogo, John Textor. O auditor Mauro Marcelo de Lima e Silva, o mesmo que ironizou as demandas do clube carioca, tomou a decisão baseada no artigo 223 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD): “deixar de cumprir ou retardar o cumprimento de decisão, resolução, transação disciplinar desportiva ou determinação da Justiça Desportiva”.

O motivo foi o fato de o empresário não entregar as provas de manipulação de resultados exigidas pelo tribunal. Textor avisou que o STJD não tem competência para julgar o caso na esfera criminal e prometeu deixar os documentos no Ministério Público.

Na semana passada, aliás, Textor assegurou que tinha áudios de árbitros brasileiros reclamando de não receberem o pagamento de propinas. Em seguida, ele detalhou as suas ilações.

“Diante da gravidade da conduta do Sr. John Charles Textor, proprietário e Presidente do SAF Botafogo, que desconsiderou os preceitos estabelecidos pelo CBJD e desrespeitou a Autoridade da Justiça Desportiva além de ser ofensivo a integrantes dessa Corte, determino a sua suspensão automática”, afirma um dos trechos da decisão.

Continua após a publicidade

Com a suspensão, Textor, agora, não poderá estar presente em competições e praticar atos oficiais.

O STJD ainda pode, também, preparar uma denúncia contra o norte-americano. Neste caso, Textor pode receber suspensão de 90 a 360 dias e ter que pagar multa de R$ 100 mil.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.