Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Santos gasta valor milionário para derrubar sanções na Fifa

Presidente do Peixe teve que lidar com três transfer bans em menos de cinco meses, durante situação financeira delicada do clube

Jogada 10

Jogada 10|Do R7

Foto: Raul Baretta/Santos

O Santos não convive com a melhor saúde financeira nos últimos anos. Contudo, nesta temporada, o clube precisou abrir os cofres para  evitar ou derrubar sanções na Fifa. Em 2024, o presidente Marcelo Teixeira teve que pagar cerca de R$ 30,4 milhões por conta de transfer ban sofridos pelo Peixe.

De janeiro para cá, o Peixe pagou R$ 4,7 milhões à vista ao ex-treinador Fabíán Bustos e está pagando parcelas mensais para chegar ao total de R$ 22,7 milhões ao Kranosdar, da Rússia, pela contratação de Cueva, em 2019. Mais recentemente, o Santos precisou desembolsar R$ 3 milhões ao Argentinos Juniors por conta da transferência de Carabajal.

As dívidas foram deixadas pela gestão anterior, comandada por Andrés Rueda. O ex-mandatário deixou um grande rombo financeiro no clube, obrigando o Santos a adotar uma política de austeridade financeira e diminuir o teto salarial no elenco.

Publicidade

Além disso, o presidente Marcelo Teixeira está ciente de um futuro bastante problemático em relação a novas cobranças. Se os valores não forem quitados a curto prazo, outras punições podem chegar.

As dívidas do Santos

Publicidade

Por exemplo, o Peixe ainda deve R$ 21,4 milhões ao Mônaco, da França, pela aquisição do volante Jean Lucas, no ano passado. Este dinheiro pode acabar abatido conforme o Santos receber do Bahia, que comprou o jogador por R$ 24,2 milhões em janeiro deste ano.

Além disso, o Santos deve à sociedade anônima Sinergia Deportiva, do México, outros R$ 14,5 milhões pela compra de Soteldo. O Peixe ainda precisa pagar R$ 13 milhões ao Cuiabá, pela aquisição do lateral-direito João Lucas, que sequer está no clube neste momento.

Publicidade

Quem também está fora do Santos no momento é Basso, outra dívida problemática do clube. O zagueiro chegou do Arouca (POR) no ano passado, e a aquisição não foi paga devidamente, gerando uma dívida de R$ 10,7 milhões ao Peixe.

Assim, a diretoria ainda avalia como vai acertar todas estas dívidas, buscando evitar novas punições da Fifa.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.