Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Roberto Assaf: Palmeiras x Flamengo: 0 a 0 de assustar crianças

O difícil, aqui, é afirmar quem foi pior neste duelo no Allianz Parque. Ou mais medroso. Ou mais incapaz

Jogada 10

Jogada 10|Do R7

Foto: Cesar Greco/Palmeiras

 

Joguinho safado esse Palmeiras 0x0 Flamengo. É como anunciar show do Frank Sinatra e apresentar o Zé da Melodias. Um espetáculo lamentável. O difícil, aqui, é afirmar quem foi pior. Ou mais medroso. Ou mais incapaz.

A propósito, quando você vê a escalação com Allan e Carlinhos, que deixaram La Cruz e Pedro no banco, em partida contra o Palmeiras, no Allianz, não há como conter a revolta. Poupar os dois craques em tal situação é de uma estupidez sem par. O que amedronta é a possibilidade de tomar uma goleada. Mas os comandados de Abel Ferreira não disseram presente.

Menos mal porque o Rubro-Negro com Tite como comandante, e a Copa América pelo caminho, briga no Brasileiro apenas por vaga na Sul-Americana, nada além. A queda do técnico, provavelmente em junho, após mais fracassos que ocorrerão neste campeonato e na Libertadores, poderão salvar o clube, quem sabe, na Copa do Brasil, dependendo dos adversários que surgirão até lá. É de arrepiar a necessidade de enfrentar o Bolivar – que tem uma boa equipe – quarta na altitude de La Paz.

Publicidade

Flamengo x Palmeiras

Foi de dar dó. Trocar La Cruz e Pedro por Allan e Carlinhos é como ter uma cobertura na praia do Leblon e morar num barraco de madeira na Chatuba. Desde o primeiro tempo, o Flamengo não viu a cor da bola. Mas o o Palmeiras não soube aproveitar. Também parecia anestesiado. Ainda vimos a farta distribuição de cartões amarelos. Remo 1 x 2 Volta Redonda, sábado no Baenão, se você não viu, deu de 10 a 0 no clássico.

Publicidade

O Flamengo voltou para a etapa derradeira com 10, pois Pedro substituiu Carlinhos no intervalo, embora Allan – o que é Allan? Quem inventou isso? – continuou em campo. O Palmeiras retornou sem muita iniciativa, mas manteve o controle, o que sugeria que em dado momento fatalmente encontraria o caminho do gol, tal a inoperância da equipe carioca. Curiosamente, no entanto, não mostrava vontade de ganhar. Aos 12 minutos, Allan chutou de longe e sentiu. Quem sabe por longo tempo. Mas as preces foram ouvidas. Entrou Gérson.

O jogo ficou equilibrado. O problema é que o Flamengo também vê o 0 a 0 como uma dádiva. O tempo vai passando e nada acontece. O time paulista fez mudanças. La Cruz, enfim, pisou o gramado. Com o uruguaio em campo, a possibilidade de vitória cresceu. Pelo que o Palmeiras não fez, com ele, desde o começo, dava até para ganhar. Mas ambos entenderam que o empatezinho estava de bom tamanho. Ridículo.

Publicidade

E o River, sem La Cruz, tomou de três a dois do Boca. Com três gols de uruguaios…

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.