Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Replantio do gramado do CT do Inter e do Beira-Rio deve durar até um mês

Por conta das chuvas que assolam o Rio Grande do Sul, CT do Inter ainda está submerso, enquanto o estádio teve a grama praticamente...

Jogada 10

Jogada 10|Do R7

Foto: Max Peixoto/MetSul Meteorologia

O Internacional ainda precisará de um longo período até poder utilizar o Centro de Treinamentos Parque Gigante e os campos do Beira-Rio. Isso porque terá que replantar a grama dos dois locais após as chuvas que assolam o Rio Grande do Sul. O prazo pode demorar até um mês, uma vez que o processo só poderá ser iniciado quando a limpeza estiver completa e a água baixar.

O clube já estava no processo de troca de gramado de inverno no Beira-Rio. Contudo, o trabalho foi todo perdido por conta da cheia no rio Guaíba. Na última segunda-feira, o CT colorado ainda estava submerso, enquanto no estádio, a baixa do nível da água já permitiu ver o campo. Apesar disso, o começo do trabalho não está liberado, segundo o consultor dos gramados do clube, Walter Aciar, ao “ge”.

“Está ocorrendo uma limpeza no estádio, enquanto o CT está abaixo da água. É preciso retirar todo o barro. O gramado ficou todo sujo. Tínhamos plantado a grama de inverno, mas se perdeu tudo. Quando estiver limpo, poderemos começar o plantio”, destacou.

Apesar de demorar até um mês para liberar os campos para o Inter, o profissional terá que lidar com as condições meteorológicas no Rio Grande do Sul. Há previsão de aumento no nível do rio Guaíba, que pode voltar a crescer e avançar em direção ao estádio por conta das chuvas dos últimos dias. Um novo obstáculo pode atrasar ainda mais o cronograma: a frente fria impacta diretamente na fixação do solo.

Publicidade

“Dura entre 21 e 30 dias. Depende da temperatura. Quanto mais frio, mais lento o crescimento da grama”, revelou Aciar.

Inter volta aos treinos

Publicidade

O Internacional retorna aos treinamentos, nesta terça-feira (14). O clube comunicou a decisão na noite da última segunda e afirmou que foi uma definição “forçada” devido a uma exigência do calendário no futebol brasileiro. O CT Parque Gigante e o Beira-Rio ainda sofrem as consequências das inundações devido às enchentes no Rio Grande do Sul. Assim, a volta das atividades ocorre no complexo da universidade PUC do Rio Grande do Sul.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.