Jogada 10 Psicóloga do Fluminense relembra trabalho com Arias: ‘Ele estava vulnerável’

Psicóloga do Fluminense relembra trabalho com Arias: ‘Ele estava vulnerável’

Após falecimento da avó, colombiano teve sessões de terapia no clube e conseguiu dar a volta por cima dentro de campo

Jogada 10
Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Jogada 10

O Fluminense mostrou muita força mental ao longo da Libertadores. Afinal, os jogadores tricolores tiveram um acompanhamento psicológico durante os momentos da campanha. John Arias, por sinal, não teria sido campeão da competição se não fosse pelas consultas de Emily Gonçalves.

LEIA MAIS: Mundial de Clubes: Fluminense divulga programação de treinos na Arábia Saudita

Trabalho da psicologia no Fluminense

Depois da final entre Fluminense e Boca Juniors, John Arias e Emily Gonçalves ficaram abraçados no gramado do Maracanã durante um bom tempo. O meia chegou ao clube abalado por conta do falecimento da avó. O colombiano, dessa forma, pensou em desistir da carreira em muitos momentos. No entanto, as consultas da psicóloga acabaram sendo determinantes para permanência e evolução do jogador.

“Ele (Arias) estava muito vulnerável, muito sentido. Ele mesmo já verbalizou que estava pensando em não continuar. Mas justamente todo o legado que a avó deixou para ele de valor foi onde a gente conseguiu se conectar. E ele entendeu que ele tinha que continuar por conta de toda a força, de todo o apoio e de toda a história que ele tinha com a avó. De enfrentamento, de superação”, disse Emily Gonçalves no documentário “Todo Dia é 4 de novembro – Fluminense conquista a América”.

“Minha avó sempre foi essa pessoa que esteve comigo desde que eu era pequeno, o vínculo com ela era muito forte, como se fosse a minha mãe. No momento em que fui para a Colômbia, fiquei pensando que não fazia muito sentido eu estar aqui. Graças a Deus acho que hoje estou conseguindo o que eu lutei, o que ela queria. Minha família deixou muita coisa de lado para eu viver momentos como esse”, disse Arias.

Além de Emily Gonçalves, Fernando Diniz também é formado na área. O técnico, dessa forma, tenta transmitir muita força mental aos jogadores tricolores dentro de campo. A psicologia vem sendo cada vez mais utilizada no esporte e se mostrou muito importante na conquista da Libertadores.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas