Jogada 10 Presidente do Atlético-MG rebate fala de CEO do Cruzeiro: ‘Não me conhece’

Presidente do Atlético-MG rebate fala de CEO do Cruzeiro: ‘Não me conhece’

Sergio Coelho dá outra versão sobre entrevista de Gabriel Lima. Presidente do Galo afirma que palavra vale mais que papel assinado

Jogada 10
Foto: Divulgação / Atlético MG

Foto: Divulgação / Atlético MG

Jogada 10

O maior clássico de Minas Gerais ainda nem começou, mas já está dando o que falar. Nesta segunda-feira, após declarações do CEO do Cruzeiro, Gabriel Lima, foi a vez do Atlético-MG se pronunciar. Afinal, em entrevista ao “ge”, o presidente do Galo, Sergio Coelho, rebateu o dirigente do rival.

Segundo Coelho, o CEO do Cruzeiro tentou reverter a decisão de torcida única nos clássicos entre as equipes. Os dois clubes chegaram num consenso, e os duelos entre si até o final de 2025 terão apenas torcedores mandantes.

“Quero dar uma resposta ao Gabriel e não à instituição que ele representa. Primeiro, quando Gabriel fala que assustou com as minhas palavras, eu compreendo, por ele ser um menino novo e com muitos desafios pela frente. Segundo, eu participei ativamente da redação deste acordo. Eu sabia dos dois anos, só não deixei isso claro, na minha entrevista de ontem, para preservá-lo, que estava no dilema de fazer um distrato, de quebrar esse acordo”, disse Sergio Coelho ao “ge”.

“Terceiro, é bom contextualizar, Galo e Cruzeiro fizeram um acordo de torcida única por dois anos, assinamos esse documento. Depois, Gabriel começou a mandar mensagens, querendo desfazer desse acordo, e nós não aceitamos. Por isso, todo esse problema que está acontecendo. Todos me conhecem, sabe que quando eu dou a minha palavra, não precisa nem da minha assinatura. Ele que reveja os seus conceitos em relação a isso”, completou o presidente do Galo.

Discussão antiga

Os problemas entre Atlético-MG e Cruzeiro vêm desde o ano passado, quando as equipes se enfrentaram na Arena MRV. Na ocasião, torcedores celestes afirmaram que sofreram maus-tratos. O Galo, porém, diz que cruzeirenses depredaram o estádio alvinegro.

“Eu o perdoo, porque ele não é daqui e por isso não me conhece. Não sabe quem sou eu e nem da minha vida profissional. Segundo, porque ele é um dirigente novo e ainda não aprendeu a respeitar as pessoas. Ele as tem como inimigo e não como adversário. Acho que também deveria rever seus conceitos. E vida que segue, por mim, ponto final nessa pauta”, finalizou o presidente do Atlético.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas