Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Polícia conclui que facção do Sport atacou ônibus do Fortaleza; três pessoas presas

Polícia investigará o trio por tentativa de homicídio, associação criminosa, dano ao patrimônio e provocação de tumulto

Jogada 10|

Foto: Reprodução de vídeo SportTV
Foto: Reprodução de vídeo SportTV Foto: Reprodução de vídeo SportTV (Jogada 10)

A Polícia Civil de Pernambuco confirmou a suspeita de que uma facção organizada do Sport teria sido responsável pelo ataque terrorista ao ônibus do Fortaleza, no último 22 de fevereiro, após o encontro das equipes pela Copa do Nordeste, em São Lourenço da Mata, na Arena Pernambuco. A Torcida Jovem do Leão (antiga Torcida Jovem do Sport) realizou, de forma premeditada, a ação, com pedras e bombas, concluem as autoridades.

Além disso, nesta sexta-feira (15), três pessoas, reincidentes, foram presas, inicialmente, por 3o dias. A polícia investigará o trio por tentativa de homicídio, associação criminosa, dano ao patrimônio e provocação de tumulto. Outros quatro mandatos de prisão já tinham sido expedidos.

“Elas são (reincidentes), muitas têm passagem pela delegacia, muitas são conhecidas na delegacia, e muitas já têm o histórico. Essa situação não é mais isolada, é premeditada, o ataque foi proposto à torcida organizada do Fortaleza (Leões da Tuf), que é rival da Torcida Jovem do Leão, então esse é um dos elementos que a gente precisa levar em consideração”, explicou, ao site “ge”, o delegado Raul Carvalho, da Delegacia de Polícia de Repressão à Intolerância Esportiva.

Delegado detalha ação terrorista de facção do Sport

As autoridades não revelaram a identidade dos vândalos para não atrapalhas as investigações, ainda em curso. No entanto, detalharam como elas atuaram no ataque à delegação do Fortaleza.

Duas pessoas são responsáveis pela organização dos ônibus, e uma pelo fornecimento do artefato (a bomba). A gente já tem identificação de outras pessoas que arremessaram as bombas, as pedras, mas essas pessoas presas são as organizadoras dos ônibus. Um integrante que se entregou na delegacia ajudou na investigação. Mas esses presos foram os organizadores do atentado. O que se entregou, ele jogou pedra e continua em liberdade, porque há um comparecimento espontâneo”, acrescentou Raul Carvalho.

 Na ocasião, seis jogadores ficaram feridos e precisaram ser encaminhados ao hospital. O goleiro João Ricardo foi ferido com um corte no supercílio e o lateral-esquerdo Gonzalo Escobar sofreu uma pancada na cabeça, um corte na boca e um outro no supercílio. Por fim, o lateral-direito Dudu, os zagueiros Titi e Brítez, e o volante Lucas Sasha acabaram feridos com estilhaços de vidro e tiveram que conter sangramentos.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.