Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Pituca sobe o tom e diz que Santos ‘tem que jogar contra o VAR’

Meia do Santos afirma que arbitragem na final do Campeonato Paulista, entre Palmeiras e Santos, domingo (7), prejudicou o Peixe

Jogada 10

Jogada 10|Do R7

Foto: Raul Baretta / Santos
Foto: Raul Baretta / Santos Foto: Raul Baretta / Santos Jogada 10

Ao chegar para a festa de encerramento do Campeonato Paulista, na noite desta segunda-feira (8), em São Paulo, o meio-campista Diego Pituca, do Santos, expressou sua insatisfação com a arbitragem da final da competição. Raphael Claus apitou o jogo com o Palmeiras, no Allianz Parque, vencido pelo time da casa por 2 a 0. O lance que causou maior reclamação foi o do pênalti em Endrick, marcado pelo átbitro após consulta ao VAR.

“Complicado, não é? Você tem que lidar com o oponente, com o árbitro, jogar contra o VAR, é uma situação difícil, não é? Sabíamos que seria um desafio. Sem menosprezar o Palmeiras, eles mereceram os gols, mas achei o pênalti um tanto questionável. Agora, nosso foco está na Série B, precisamos aprender com isso”, comentou, em entrevista à “TNT Sports”.

Os jogadores do Santos contestaram outros lances além do pênalti. A falta de revisão do VAR em uma jogada entre Gustavo Gómez e Guilherme no início do jogo também foi alvo de protestos.

Claus não comenta acusaões de Pituca

O árbitro Raphael Claus evitou entrar em polêmicas sobre a arbitragem na final do Campeonato Paulista entre Palmeiras e Santos. De acordo com o responsável pela condução disciplinar do jogo decisivo, a reação dos jogadores e uma conversa com Marcelo Teixeira, presidente do Santos, deixaram a equipe tranquila com o desempenho na partida.

Publicidade

“Sempre é um trabalho árduo, mas o resultado final foi validado. A situação do próprio VAR, bastante clara na imagem, embora no campo às vezes possa haver dificuldades, já que os jogadores passam na frente”, afirmou o árbitro, em entrevista à “TNT Sports”.

Claus, em breve conversa durante a chegada ao evento, mencionou que teve uma conversa com Marcelo Teixeira que o deixou “tranquilo” em relação à sua atuação.

Publicidade

“O modo como o jogo termina, com os times se cumprimentando, nós sempre esperamos que todos saiam do campo, os 22 jogadores. E também, por fim, as palavras de Marcelo Teixeira ao final do jogo, essas coisas nos deixam mais tranquilos”, acrescentou.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.