Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

‘Participamos de uma orgia’, diz amigo de Robinho que estava em boate de Milão

‘Participamos de uma orgia’, diz amigo de Robinho que estava em boate de Milão

Jogada 10

Jogada 10|Do R7

Clayton Florêncio dos Santos, um dos cinco amigos que estavam com Robinho em episódio que resultou na condenação do ex-jogador por estupro, deu entrevista ao portal UOL. - Foto: Reprodução/Youtube UOL Prime
Clayton Florêncio dos Santos, um dos cinco amigos que estavam com Robinho em episódio que resultou na condenação do ex-jogador por estupro, deu entrevista ao portal UOL. - Foto: Reprodução/Youtube UOL Prime Clayton Florêncio dos Santos, um dos cinco amigos que estavam com Robinho em episódio que resultou na condenação do ex-jogador por estupro, deu entrevista ao portal UOL. - Foto: Reprodução/Youtube UOL Prime (Jogada 10 - Galerias)
Claytinho, como é conhecido, defendeu o amigo, que está preso em Tremembé, no interior de São Paulo. “Participamos de uma orgia. Com a consciência de todo mundo”, declarou.
Claytinho, como é conhecido, defendeu o amigo, que está preso em Tremembé, no interior de São Paulo. “Participamos de uma orgia. Com a consciência de todo mundo”, declarou. Claytinho, como é conhecido, defendeu o amigo, que está preso em Tremembé, no interior de São Paulo. “Participamos de uma orgia. Com a consciência de todo mundo”, declarou. (Jogada 10 - Galerias)
“Estuprador tem que morrer na cadeia. Estuprador tem que morrer. Mas o Robinho não estuprou ninguém. Os amigos de Robinho não estupraram ninguém”, disse Claytinho, de 42 anos.
“Estuprador tem que morrer na cadeia. Estuprador tem que morrer. Mas o Robinho não estuprou ninguém. Os amigos de Robinho não estupraram ninguém”, disse Claytinho, de 42 anos. “Estuprador tem que morrer na cadeia. Estuprador tem que morrer. Mas o Robinho não estuprou ninguém. Os amigos de Robinho não estupraram ninguém”, disse Claytinho, de 42 anos. (Jogada 10 - Galerias)
Claytinho é um dos quatro brasileiros acusados de estupro pelo Ministério Público da Itália que não foram julgados por não terem sido encontrados pelas autoridades locais.
Claytinho é um dos quatro brasileiros acusados de estupro pelo Ministério Público da Itália que não foram julgados por não terem sido encontrados pelas autoridades locais. Claytinho é um dos quatro brasileiros acusados de estupro pelo Ministério Público da Itália que não foram julgados por não terem sido encontrados pelas autoridades locais. (Jogada 10 - Galerias)
O amigo de Robinho, que nega o estupro, manifestou desejo de ser ouvido pela Justiça. “Eu gostaria muito que as autoridades brasileiras olhassem com carinho para esse caso, convocassem todos”.
O amigo de Robinho, que nega o estupro, manifestou desejo de ser ouvido pela Justiça. “Eu gostaria muito que as autoridades brasileiras olhassem com carinho para esse caso, convocassem todos”. O amigo de Robinho, que nega o estupro, manifestou desejo de ser ouvido pela Justiça. “Eu gostaria muito que as autoridades brasileiras olhassem com carinho para esse caso, convocassem todos”. (Jogada 10 - Galerias)
Robinho está preso desde o dia 22 de março na Penitenciária 2 de Tremembé, no interior de São Paulo. O presídio é conhecido por abrigar condenados
Robinho está preso desde o dia 22 de março na Penitenciária 2 de Tremembé, no interior de São Paulo. O presídio é conhecido por abrigar condenados Robinho está preso desde o dia 22 de março na Penitenciária 2 de Tremembé, no interior de São Paulo. O presídio é conhecido por abrigar condenados (Jogada 10 - Galerias)
Após passar dez dias em uma cela isolada de 8m² em período de adaptação, Robinho passou a dividir espaço com outro detento e já pode receber visitas.
Após passar dez dias em uma cela isolada de 8m² em período de adaptação, Robinho passou a dividir espaço com outro detento e já pode receber visitas. Após passar dez dias em uma cela isolada de 8m² em período de adaptação, Robinho passou a dividir espaço com outro detento e já pode receber visitas. (Jogada 10 - Galerias)
No dia 20 de março, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) homologou a sentença da Justiça italiana que condenou Robinho a nove anos de prisão por estupro.
No dia 20 de março, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) homologou a sentença da Justiça italiana que condenou Robinho a nove anos de prisão por estupro. No dia 20 de março, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) homologou a sentença da Justiça italiana que condenou Robinho a nove anos de prisão por estupro. (Jogada 10 - Galerias)
Por 9 votos a 2, o STJ acatou pedido das autoridades italianas para que a sentença de Robinho seja aplicada no Brasil.
Por 9 votos a 2, o STJ acatou pedido das autoridades italianas para que a sentença de Robinho seja aplicada no Brasil. Por 9 votos a 2, o STJ acatou pedido das autoridades italianas para que a sentença de Robinho seja aplicada no Brasil. (Jogada 10 - Galerias)
“O requerido não foi julgado à revelia na Itália. Pelo contrário: estava representado e foi regularmente citado. A não homologação desta pena significará a impunidade”, destacou em seu voto o relator Francisco Falcão, que ainda mencionou “ultraje à vítima” caso a pena não fosse homologada.
“O requerido não foi julgado à revelia na Itália. Pelo contrário: estava representado e foi regularmente citado. A não homologação desta pena significará a impunidade”, destacou em seu voto o relator Francisco Falcão, que ainda mencionou “ultraje à vít... “O requerido não foi julgado à revelia na Itália. Pelo contrário: estava representado e foi regularmente citado. A não homologação desta pena significará a impunidade”, destacou em seu voto o relator Francisco Falcão, que ainda mencionou “ultraje à vítima” caso a pena não fosse homologada. (Jogada 10 - Galerias)
A defesa de Robinho, liderada pelo advogado José Eduardo Alckmin, teve negada um pedido de habeas corpus pelo ministro Luiz Fux, no STF, para que o ex-jogador aguardasse o julgamento dos recursos em liberdade.
A defesa de Robinho, liderada pelo advogado José Eduardo Alckmin, teve negada um pedido de habeas corpus pelo ministro Luiz Fux, no STF, para que o ex-jogador aguardasse o julgamento dos recursos em liberdade. A defesa de Robinho, liderada pelo advogado José Eduardo Alckmin, teve negada um pedido de habeas corpus pelo ministro Luiz Fux, no STF, para que o ex-jogador aguardasse o julgamento dos recursos em liberdade. (Jogada 10 - Galerias)
Na noite de 4 de abril, o advogado entrou com um recurso no STJ chamado embargos de declaração. O instrumento visa avaliar eventos erros em um julgamento.
Na noite de 4 de abril, o advogado entrou com um recurso no STJ chamado embargos de declaração. O instrumento visa avaliar eventos erros em um julgamento. Na noite de 4 de abril, o advogado entrou com um recurso no STJ chamado embargos de declaração. O instrumento visa avaliar eventos erros em um julgamento. (Jogada 10 - Galerias)
Dias antes do julgamento no STJ, Robinho deu entrevista ao programa Domingo Espetacular em que disse ter provas de sua inocência. Ele ainda acusou a Justiça da Itália de racismo no processo que resultou na sua condenação.
Dias antes do julgamento no STJ, Robinho deu entrevista ao programa Domingo Espetacular em que disse ter provas de sua inocência. Ele ainda acusou a Justiça da Itália de racismo no processo que resultou na sua condenação. Dias antes do julgamento no STJ, Robinho deu entrevista ao programa Domingo Espetacular em que disse ter provas de sua inocência. Ele ainda acusou a Justiça da Itália de racismo no processo que resultou na sua condenação. (Jogada 10 - Galerias)
“Só joguei quatro anos na Itália e já cansei de ver histórias de racismo. Infelizmente, isso tem até hoje. Foi em 2013, estamos em 2024. Os mesmos que não fazem nada com esse tipo de ato (racismo) são os mesmos que me condenaram”, afirmou.
“Só joguei quatro anos na Itália e já cansei de ver histórias de racismo. Infelizmente, isso tem até hoje. Foi em 2013, estamos em 2024. Os mesmos que não fazem nada com esse tipo de ato (racismo) são os mesmos que me condenaram”, afirmou. “Só joguei quatro anos na Itália e já cansei de ver histórias de racismo. Infelizmente, isso tem até hoje. Foi em 2013, estamos em 2024. Os mesmos que não fazem nada com esse tipo de ato (racismo) são os mesmos que me condenaram”, afirmou. (Jogada 10 - Galerias)
Robinho alega que manteve relações sexuais com a vítima de forma consensual: “Tivemos uma relação sexual superficial e rápida. Em nenhum momento ela empurrou, falou ‘para’. Tinha outras pessoas no local. Quando vi que ela queria continuar com outros rapazes, eu fui embora para casa”.
Robinho alega que manteve relações sexuais com a vítima de forma consensual: “Tivemos uma relação sexual superficial e rápida. Em nenhum momento ela empurrou, falou ‘para’. Tinha outras pessoas no local. Quando vi que ela queria continuar com outros ra... Robinho alega que manteve relações sexuais com a vítima de forma consensual: “Tivemos uma relação sexual superficial e rápida. Em nenhum momento ela empurrou, falou ‘para’. Tinha outras pessoas no local. Quando vi que ela queria continuar com outros rapazes, eu fui embora para casa”. (Jogada 10 - Galerias)
Na entrevista, Robinho declarou que a vítima estava consciente, mas essa versão contradiz falas dele em áudios gravados pela Justiça da Itália. Nos grampos, o ex-atacante diz que a denunciante “estava completamente bêbada” e chega a dar risadas ao saber da acusação de estupro.
Na entrevista, Robinho declarou que a vítima estava consciente, mas essa versão contradiz falas dele em áudios gravados pela Justiça da Itália. Nos grampos, o ex-atacante diz que a denunciante “estava completamente bêbada” e chega a dar risadas ao sabe... Na entrevista, Robinho declarou que a vítima estava consciente, mas essa versão contradiz falas dele em áudios gravados pela Justiça da Itália. Nos grampos, o ex-atacante diz que a denunciante “estava completamente bêbada” e chega a dar risadas ao saber da acusação de estupro. (Jogada 10 - Galerias)
“Por isso que estou rindo, eu não estou nem aí. A mina, a mina estava extremamente embriagada, não sabe nem que eu sou”, afirma Robinho nos grampos feitos pela Justiça da Itália e que foram revelados pelo portal UOL.
“Por isso que estou rindo, eu não estou nem aí. A mina, a mina estava extremamente embriagada, não sabe nem que eu sou”, afirma Robinho nos grampos feitos pela Justiça da Itália e que foram revelados pelo portal UOL. “Por isso que estou rindo, eu não estou nem aí. A mina, a mina estava extremamente embriagada, não sabe nem que eu sou”, afirma Robinho nos grampos feitos pela Justiça da Itália e que foram revelados pelo portal UOL. (Jogada 10 - Galerias)
Robinho foi condenado a nove anos de prisão por violência sexual de grupo pela Corte de Cassação da Itália - a última instância do judiciário local. Na época, ele defendia o Milan. Ricardo Falco, amigo do ex-atleta, recebeu a mesma pena.
Robinho foi condenado a nove anos de prisão por violência sexual de grupo pela Corte de Cassação da Itália - a última instância do judiciário local. Na época, ele defendia o Milan. Ricardo Falco, amigo do ex-atleta, recebeu a mesma pena. Robinho foi condenado a nove anos de prisão por violência sexual de grupo pela Corte de Cassação da Itália - a última instância do judiciário local. Na época, ele defendia o Milan. Ricardo Falco, amigo do ex-atleta, recebeu a mesma pena. (Jogada 10 - Galerias)
A Justiça da Itália também condenou Robinho a indenizar a vítima no valor de 60 mil euros (R$ 323 mil). O caso ocorreu em 2013 em uma boate de Milão. A vítima da agressão sexual por parte de Robinho e amigos foi uma jovem de origem albanesa
A Justiça da Itália também condenou Robinho a indenizar a vítima no valor de 60 mil euros (R$ 323 mil). O caso ocorreu em 2013 em uma boate de Milão. A vítima da agressão sexual por parte de Robinho e amigos foi uma jovem de origem albanesa A Justiça da Itália também condenou Robinho a indenizar a vítima no valor de 60 mil euros (R$ 323 mil). O caso ocorreu em 2013 em uma boate de Milão. A vítima da agressão sexual por parte de Robinho e amigos foi uma jovem de origem albanesa (Jogada 10 - Galerias)
Quando saiu a condenação definitiva, Robinho estava no Brasil e a Justiça italiana pediu a extradição do ex-jogador. No entanto, a Constituição brasileira veta no artigo quinto a extradição de cidadãos natos, o que fez as autoridades do país europeu pedirem que a pena fosse aplicada em solo brasileiro.
Quando saiu a condenação definitiva, Robinho estava no Brasil e a Justiça italiana pediu a extradição do ex-jogador. No entanto, a Constituição brasileira veta no artigo quinto a extradição de cidadãos natos, o que fez as autoridades do país europeu pe... Quando saiu a condenação definitiva, Robinho estava no Brasil e a Justiça italiana pediu a extradição do ex-jogador. No entanto, a Constituição brasileira veta no artigo quinto a extradição de cidadãos natos, o que fez as autoridades do país europeu pedirem que a pena fosse aplicada em solo brasileiro. (Jogada 10 - Galerias)
Após o STJ homologar a sentença da Itália, Robinho foi preso pela Polícia Federal no prédio em que reside, no bairro da Aparecida, em Santos. Ele passou por audiência de custódia na sede da instituição na cidade litorânea e, depois, por exame de corpo de delito, antes de ser encaminhado para o presídio de Tremembé.
Após o STJ homologar a sentença da Itália, Robinho foi preso pela Polícia Federal no prédio em que reside, no bairro da Aparecida, em Santos. Ele passou por audiência de custódia na sede da instituição na cidade litorânea e, depois, por exame de corpo ... Após o STJ homologar a sentença da Itália, Robinho foi preso pela Polícia Federal no prédio em que reside, no bairro da Aparecida, em Santos. Ele passou por audiência de custódia na sede da instituição na cidade litorânea e, depois, por exame de corpo de delito, antes de ser encaminhado para o presídio de Tremembé. (Jogada 10 - Galerias)

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.