Jogada 10 Palmeiras ataca para se proteger do assédio europeu sobre Piquerez e Vanderlan

Palmeiras ataca para se proteger do assédio europeu sobre Piquerez e Vanderlan

Investida do Alviverde na contratação de Caio Paulista pode ser um movimento de prevenção a saída de algum dos dois

Jogada 10
Foto: Cesar Greco/Palmeiras

Foto: Cesar Greco/Palmeiras

Jogada 10

O Palmeiras tenta se proteger do assédio de europeus sobre Piquerez e Vanderlan, seus laterais pela esquerda. Embora estejam nos planos de Abel Ferreira e da diretoria para a próxima temporada, a procura de clubes europeus são constantes. Desse modo, a investida em Caio Paulista é classificada como uma forma de prevenção em caso da saída de algum deles.

Recentemente, Piquerez estendeu seu vínculo com o Verdão até dezembro de 2026. O uruguaio, aliás, recebeu três propostas na metade da temporada, prontamente recusadas pelos paulistas. A tendência é a de que as consultas e novas ofertas se intensifiquem pelo jogador de 25 anos.

Afinal, ele novamente foi campeão brasileiro, fato que o valoriza. Ele atuou em 58 partidas no ano, com sete assistências e oito gols, marca inédita desde que passou a defender o clube.

Em relação à prata da casa Vanderlan, reserva imediato de Piquerez, o assédio é um pouco menor, embora frequente. Ele já era monitorado por clubes europeus antes mesmo de subir ao profissional. Clubes da MLS americana, além de franceses e russos são alguns dos interessados.

Caio Paulista próximo do Palmeiras

Há a possibilidade da investida do Palmeiras em Caio Paulista ser um movimento de precaução a venda de algum deles. Ele era atacante e passou a atuar como lateral-esquerdo já há algum tempo ainda no Fluminense. O Tricolor lhe emprestou ao São Paulo nesta temporada e foi uma peça bastante utilizada na temporada. Afinal, foram 50 partidas em 2023.

Assim, o Tricolor Paulista indicou ao clube das Laranjeiras que tinha o desejo de mantê-lo em definitivo bem como o atleta. O São Paulo estava em tratativas com o Fluminense para parcelar a compra. Entretanto, o Verdão entrou em contato com o empresário de Caio Paulista, Eduardo Uram, para dizer que atravessaria a negociação.

O Palmeiras comunicou que pagaria acima dos 3,5 milhões de euros (R$ 18,7 milhões na cotação atual) que havia sido estipulado como o ideal. Posteriormente, as conversas com o Tricolor Paulista entraram em estágio de impasse e que antes era praticamente certa de ocorrer. Eduardo Uram é representante também de uma das negociações certas para 2024, o atacante Bruno Rodrigues.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook

Últimas