Jogada 10 Nunes coloca o dedo na ferida: ‘Falta maturidade para sustentar os resultados’

Nunes coloca o dedo na ferida: ‘Falta maturidade para sustentar os resultados’

Técnico do Botafogo pede mudança de perfil do elenco após empate que lembrou velhos fantasmas à torcida. Saiba mais!

Jogada 10
Foto: Vitor Silva/Botafogo

Foto: Vitor Silva/Botafogo

Jogada 10

Sem papas na língua, o técnico Tiago Nunes revelou-se bastante incomodado pela forma com a qual o Botafogo repetiu o filme de 2023 e entregou o empate ao Nova Iguaçu. 2 a 2, após estar vencendo, de forma tranquila, por 2 a 0, neste sábado (3), no Bezerrão, pela sexta rodada do Campeonato Carioca. Em uma declaração forte, ele, então, colocou o dedo ferida.

“Uma equipe que abre 2 a 0 e cria situações a mais para ampliar, deveria ter maturidade maior para sustentar esse resultado. Isso, afinal, não é novidade, tendo em vista o ano passado. É um ponto de evolução e a melhorar. Temos expectativa por mais jogadores, mas, nosso papel, nesse momento é estar nas finais do Carioca e oportunizar a outros jogadores atuarem e mostrar se têm condições de estar no elenco”, expressou.

Mudança de jogadores, Nunes?

Em 2023, o Botafogo deixou escapar diversas vitórias. Estes vacilos, em sequência, custaram o tricampeonato brasileiro. Nunes, então, admite esta situação desprimorosa que não foi superada e pede mudanças de perfil do plantel.

“Na minha avaliação, tem um ponto que separa bem essa questão do bom momento que o Botafogo vivia no ano passado e o momento mais difícil da questão emocional. Quando a pessoa tem a consciência do que pode melhorar e entende os porquês, fica mais fácil de convencê-la de atingir o objetivo. Fizemos alguns trabalhos com profissionais vindos de fora do Botafogo para tentar evoluir. Só que isso também tem um grau de melhora. Depois, há pré-disposição natural da pessoa para atingir o seu máximo de performance. Quando você chega num ponto em que não existe mais melhora, é preciso mudar o atleta. Já mudamos o contexto, já mudamos a forma, e o que não se mudou, muitas vezes, foi o atleta“, explicou o raciocínio.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas