Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Fortaleza faz campanha no Dia Nacional de Combate à Discriminação Racial

Lateral-direito do Fortaleza, Tinga protagoniza cena de possível simulação de preconceito racial e envia mensagem de respeito e tolerância...

Jogada 10

Jogada 10|Do R7


Foto: Reprodução/Twitter @FortalezaEC

O Fortaleza aproveitou o Dia Internacional de Combate à Discriminação Racial, celebrado nesta quarta-feira (3), para divulgar mais uma mensagem de respeito e tolerância. Nas redes sociais, o Tricolor do Pici lançou nova campanha que reafirma a posição do clube na luta contra o preconceito.

O clube publicou um vídeo em que Tinga, capitão do Leão do Pici, é protagonista. Ele caminha de capuz pela loja de eletrodomésticos Zenir, patrocinadora do clube e que também participa da ação. Seguranças acompanhavam o atleta, e por isso tudo leva a crer que ocorreria mais uma cena de racismo e preconceito na abordagem ao profissional. O que segue, entretanto, é uma tietagem ao jogador, seguida de uma mensagem final.

“Quero chamar-te para uma reflexão. O preconceito não pode existir e a cor de pele não diz quem nós somos”, ressalta o lateral-direito, na parte final do vídeo divulgado.

Publicidade

“Essa é a nossa resposta histórica para lembrar de algo tão importante e que deveria ter sido superado por nossa sociedade, pois a cor da pele não define quem nós somos. Ninguém melhor que nosso capitão Tinga para representar a luta contra esse preconceito social no Dia Nacional de Combate à Discriminação Racial”, pontua o Diretor de Comunicação e Marketing do Fortaleza, Marcel Pinheiro.

Fortaleza divide campanha com compromisso pela Série A

Publicidade

Além da ação do Tricolor do Pici, nesta data também entrará em campo pelo Campeonato Brasileiro, em duelo com o Vasco pelo Brasileirão, em São Januário. Assim como o Fortaleza, o cruz-maltino também é referência no combate à discriminação racial, sendo o primeiro a lutar contra o racismo no futebol brasileiro, quando há 100 anos praticou a chamada Resposta Histórica, ao se recusar a excluir 12 jogadores negros no campeonato de 1924.

Celebrado em 3 de julho, o Dia Nacional de Combate à Discriminação Racial é um marco importante na luta contra o racismo no Brasil.  A criação teve como objetivo lembrar o primeiro movimento negro do país, o Teatro Experimental do Negro, fundado em 1944 por Abdias do Nascimento.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook .

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.