Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Estádio que se sediou jogos da Eurocopa surge destruído

Donbas Arena está localizada na Ucrânia e servia como estádio do Shakhtar Donetsk, com capacidade para 52 mil pessoas

Jogada 10

Jogada 10|Do R7


Franck Fife/AFP via Getty Images

A guerra entre Ucrânia e Rússia também afeta o esporte. Estádio do Shakhtar Donetsk, clube mais conhecido do país, a Donbas Arena virou um espaço abandonado. O processo, que teve início em 2014, se intensificou com a escalada do conflito com o país vizinho.

O que um dia já serviu de palco para gigantes da Europa e jogadores como Cristiano Ronaldo e Iniesta, agora exibe vegetação elevada em seus arredores e catracas quebras. Além disso, é possível observar vidros quebrados pelo chão, oriundos da parte superior, atingida por bombas de artilharia.

O processo de deterioramento da Arena teve início com atos separatistas de grupos locais que desejavam a independência da região quanto à Ucrânia. Apoiados pela Rússia, o processo de criação da República Popular de Donetsk foi à base de confrontos intensos entre às partes. Em 2022, a área foi anexada pela Rússia, aumentando às tensões que culminariam na guerra com a Ucrânia.

Inaugurado em 2009, o estádio levou três anos para ficar pronto e custou cerca de US$ 400 milhões. A Arena foi palco da Eurocopa 2012, que teve sedes divididas entre a Ucrânia e a Polônia. Também recebeu jogos da Champions League. Com capacidade para 52 mil torcedores, a Donbas Arena hoje vive o mesmo destino incerto que o conflito no leste europeu.

Publicidade

Clube sem um estádio para chamar de seu

Já o Shakhtar se tornou um clube nômade. Entre 2014 e 2016, o clube atuou nas cidades de ucranianas de Lviv e Kharkiv, cerca de 155 quilômetros a noroeste de Donetsk. Na temporada 2022/23, acabou mandando seus jogos europeus na Polônia – devido à guerra. Na última temporada, a cidade de Hamburgo, na Alemanha, foi o lar do clube ucraniano.

Publicidade

Para a temporada que se aproxima, uma nova mudança já foi anunciada: a equipe passará a sediar partidas em Gelsenkirchen, também na Alemanha. A cidade fica a uma distância de 1.582 quilômetros da sede de Donetsk.

Publicidade

O CEO do Shakhtar, Serhii Palkin, celebrou o acordo e argumentou que a decisão foi tomada devido ao apoio no país.

“Estamos felizes por realizar nossos jogos da Uefa Champions League em um dos melhores estádios da Alemanha. A experiência positiva da última temporada mostra que o Shakhtar tem um forte apoio dos torcedores neste país – tanto residentes locais quanto refugiados ucranianos. Esse fator é de grande importância para o nosso clube”, argumentou o dirigente.

Veja mais fotos da Donbas Arena destruída:

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

 

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.