Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Equatoriano que vive em Madri ‘bota chefe na parede’ por Seleção Brasileira

Residente em Madri há seis meses, Dario Tupisa se diz um apaixonado pela Canarinho e espera adiantamento de salário para ver jogo contra...

Jogada 10|

Foto: Felipe David Rocha/Jogada10
Foto: Felipe David Rocha/Jogada10 Foto: Felipe David Rocha/Jogada10 (Jogada 10)

O amistoso envolvendo as seleções de Brasil e Espanha será na terça-feira (26), três dias após o primeiro desafio da Canarinho sob o comando de Dorival Júnior. Mas para um torcedor em especial, o jogo no Santiago Bernabéu, casa do Real Madrid, é o que importa.

Dario Tupisa é equatoriano e trabalha há cinco meses no Aeroporto Internacional de Madri. Em sua rotina na cozinha de um restaurante, o assunto “Seleção Brasileira” passou a ganhar destaque em meios aos seus colegas. Até mais do que a paixão pelos colchoneros,

“Sinceramente, minha ansiedade não está no jogo de Londres, e sim nesse aqui em Madri. a Amarelinha, fica a Amarelinha, fica à frente até do que minha paixão pelo Atletico de Madrid. Meu país também joga com a cor amarela. Quando venho com uma camisa nessa cor para o trabalho, todos já conhecem o motivo. E ao saber que o Brasil viria aqui, aí a emoção foi demais”, iniciou ele, em conversa com o Jogada10.

Tupisa se define como “marmitón”, profissão relacionada a quem cuida da limpeza de fornos, entre outras funções no restaurante. E sua expectativa é a de que os comandados de Dorival Júnior sirvam um “prato caprichado” diante dos anfitriões.

Publicidade

“A Fúria não está lá essas coisas, não. Mesmo sem muitos de seus principais atletas, a Seleção Brasileira tem condições de buscar um bom resultado”, acrescentou Dario.

LEIA MAIS: Richarlison diz que terapia salvou sua vida para voltar à Seleção Brasileira: ‘Estava no fundo do poço’

Publicidade

Ele, aliás, revelou ter pedido na última segunda-feira (18) para que o chefe adiantasse parte do seu salário a fim de que possa comprar um dos poucos ingressos que ainda restam para o amistoso do próxima semana.

“Pedi, e o prazo encerra hoje (terça), dia em que estou sendo entrevistado. Lamento não ter vindo hoje com uma camisa amarela. Como eu iria saber, não é mesmo?! Mas sei que o dia vai terminar alegre. No fim do expediente, espero poder pegar esse dinheiro e garantir o meu lugar no Bernabéu, casa do nosso rival”, contou.

Publicidade

Ídolos brasileiros

No futebol, seus ídolos são brasileiros, o que nem chega a ser uma surpresa. Os laterais Roberto e Cafu, além de Ronaldo Fenômeno, encabeçam a lista. Ele acredita que o talento fará a diferença em mais um começo de ciclo:

“Toda má fase na vida tem tempo certo para acabar. O Brasil é pentacampeão do mundo e em breve vai erguer mais um troféu desse”.

Aos 30 anos, Dario Tupisa reside no bairro de Abranches, sem grande luxo, na capital espanhola, ao lado da mãe e do irmão:

“No Equador não tem trabalho, além de estar violento. Minha mãe, a dona Rosa Margarida, já está na Espanha há 20 anos e trabalha no ramo da limpeza. Conseguiu sobreviver aqui. Meu irmão mais novo, o Alex, veio três anos atrás e eu cheguei há seis meses. Tudo está se ajeitando aos poucos”, destacou antes de se divertir um pouco mais:

“Meu visto de trabalho é de um ano, mas estou certo de que conseguirei resolver sem problemas. Só não vou dizer que torci para o Brasil contra a Espanha… risos”, encerrou, aos risos.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.