Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Destaque no Palmeiras, Estêvão quase jogou no Atlético-MG

Em alta na carreira, Estêvão era do Cruzeiro e, antes de assinar com o Palmeiras, quase defendeu as cores do Atlético-MG

Jogada 10

Jogada 10|Do R7

Foto: Cesar Greco/Palmeiras/by Canon

No último domingo (5), o garoto Estêvão saiu do banco de reservas e ajudou o Palmeiras a derrotar o Cuiabá por 2 a 0, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. Em alta no Verdão, a história do atacante, que atualmente usa a camisa 41, poderia ter sido bem diferente e no Atlético-MG.

Antes de chegar ao Palmeiras, Estêvão atuava na categoria de base do Cruzeiro. Porém, alguns problemas na condução da sua formação azedaram a relação entre as partes e saída foi uma consequência.

Por causa da quebra do acordo com a Raposa, o Galo entrou na história e tentou levar o jogador para o seu elenco. Na época, o garoto de 14 anos optou por não aceitar o Atlético-MG, pois não queria prejudicar ainda mais a sua relação com o Cruzeiro.

Proposta alta

Publicidade

Um dos fatores que deixavam o Atlético-MG otimista pelo acerto era o lado financeiro. O time de Belo Horizonte ofereceu muito dinheiro, mas não obteve êxito na negociação.

Através da rede social, Lásaro Cândido, ex-diretor do Galo, revelou alguns bastidores. “O Messinho esteve próximo de assinar com o ATLÉTICO…Preparei na época (03.02.2020) inclusive a notificação extrajudicial (até hoje tenho a cópia) que seria enviada ao Cruzeiro (cumprir formalidades etc). Parte jurídica, contratos, tudo pronto. Infelizmente…um dia talvez dê os nomes”, escreveu no X.

Publicidade

Palmeiras levou Estêvão

Sem acordo com o rival do Cruzeiro, Estêvão e sua família optaram por atuar no Palmeiras. De acordo com João Sampaio, responsável pela categoria de base do Verdão, pesou a estrutura e o cuidado que o clube tem com a categoria de base.

Publicidade

“O jogador estava livre no mercado. Ele não estava registrado no BID do Cruzeiro, que poderia ter feito isso desde os 12 anos. E o Cruzeiro desde julho ou agosto, não tem certificado de clube formador, que protege estes meninos. O jogador tinha três propostas oficiais, melhores que a nossa, e ele escolheu o Palmeiras. O pai acha o melhor projeto de base do Brasil hoje, o clube que dá chances a muitos meninos, o maior campeão do Brasil e minha função é procurar os melhores profissionais para o clube”, contou o dirigente ao ge.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.