Jogada 10 Da euforia à melancolia: O fim de James Rodriguez no São Paulo

Da euforia à melancolia: O fim de James Rodriguez no São Paulo

Contratado com status de estrela, meia pediu para rescindir seu contrato com o Tricolor e deixa o clube sem deixar saudades

Jogada 10
Foto: Divulgação/São Paulo FC

Foto: Divulgação/São Paulo FC

Jogada 10

Chegou ao fim o relacionamento entre James Rodríguez e o São Paulo. Nesta quarta-feira (07), o Jogada10 noticiou que o colombiano pediu para rescindir seu contrato com o clube. O meia, que sequer jogou nesta temporada, encerra uma passagem pelo Morumbis com enorme frustração, após causar grande euforia em sua chegada.

Ao todo, foram 14 jogos, todos no ano passado, com um gol marcado em cima do Fortaleza e outras três assistências. James Rodríguez chegou com status de estrela e foi recebido por uma multidão no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A euforia se passou muito pelas condições da equipe naquela temporada. Naquele momento, o Tricolor havia acabado de perder o jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil para o rival Corinthians. O colombiano chegava como a grande arma para ajudar a equipe na classificação para a final.

Contudo, James demorou para ficar à disposição. Afinal, o jogador estava há três meses sem atuar e estava abaixo dos companheiros. Após um longo período de treinamentos, o colombiano atuou pela primeira vez na última rodada do primeiro turno do Brasileirão de 2023. O meia entrou no segundo tempo no duelo contra o Flamengo, no Maracanã, e causou boa impressão.

Entretanto, o tão sonhado duelo contra o Corinthians chegou. A expectativa do torcedor de ver James em campo contra o rival não aconteceu. O atleta ficou os 90 minutos no banco de reservas e não fez muita coisa na vitória do Tricolor, que venceu por 2 a 0 e avançou para a final.

Primeira frustração de James dentro de campo

Ainda em processo de condicionamento físico, James Rodríguez alternava entre ser um jogador de segundo tempo e protagonista de um time alternativo durante a temporada de 2023. Contudo, a primeira frustração de dentro do campo aconteceu na Copa Sul-Americana. Após vencer a LDU por 1 a 0, no Morumbis, a decisão das quartas de final do torneio continental foi para os pênaltis. O colombiano acabou sendo o único jogador que desperdiçou uma penalidade e o Tricolor Paulista foi eliminado da competição.

Um novo incômodo veio a acontecer na Copa do Brasil. Afinal, acreditando estar em suas melhores condições, James não jogou nenhum minuto nas duas finais contra o Flamengo, quando viu do banco o time ser campeão.

O técnico Dorival Júnior colocou James como titular em nove partidas, mas geralmente quando usava jogadores reservas para poupar titulares. Teve boa atuação contra o Grêmio, vitória em casa por 3 a 0, e fez seu único gol contra o Fortaleza, na derrota por 2 a 1 no Morumbi.

A relação com a comissão de Dorival não era das melhores. O meia não gostou de ter sido substituído no intervalo do clássico contra o Palmeiras, no Allianz Parque. Àquela altura, o São Paulo perdia por 3 a 0, mas o jogo terminaria 5 a 0.

Chegada de Carpini no São Paulo aumentou esperanças

Com a saída de Dorival, a expectativa era de que, em um novo ano e com um novo treinador, o atleta enfim iria deslanchar com a camisa do São Paulo. Mas isso não aconteceu. O clube sempre tratou James como um reforço para 2024 e que a temporada passada seria para adaptação. A chegada de Carpini motivou o colombiano, que cogitou, inclusive, mudar de número e usar a 55, significando uma mudança de postura no clube.

Contudo, desde a pré-temporada, o meia estava treinando separado dos demais companheiros e fazia atividades com controle de carga no CT da Barra Funda. Aliás, James sequer foi inscrito no Campeonato Paulista e não jogou nenhuma partida em 2024.

O estopim aconteceu no último domingo (04). O meia ficou sabendo que não seria relacionado para o duelo contra o Palmeiras, pela Supercopa Rei do Brasil. Assim, James recusou-se a viajar com a delegação para Belo Horizonte. Entretanto, o episódio pegou mal interna e externamente, já que outros jogadores que estavam no DM, como Rodrigo Nestor e Igor Vinícius, viajaram com o elenco.

Insatisfeito, o jogador decidiu procurar o clube e solicitar uma rescisão amigável. Na reunião com a diretoria do São Paulo, James justificou seu pedido pela falta de oportunidades no time e o desejo de se aproximar da família, que está nos Estados Unidos.

Assim, a passagem de James Rodríguez no Brasil acaba da forma mais melancólica possível. O craque da Copa do Mundo de 2014 mostrou que 10 anos fazem bastante diferença no futebol.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram Facebook.

Últimas