Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

CBF se recusa a paralisar o Brasileirão durante a Copa América

Nove clubes pediram que o Brasileirão fosse parado no período da Copa América, mas CBF alega 'prejuízo na dinâmica do campeonato'

Jogada 10|

Foto: Fabio Teixeira
Foto: Fabio Teixeira Foto: Fabio Teixeira (Jogada 10)

Apesar do pedido de nove clubes da Série A do Brasileirão, para que paralisasse o campeonato durante a Copa América, a CBF se recusou oficialmente a fazer isto nesta quinta-feira (29). Aa entidade emitiu uma nota oficial, alegando uma série de questões para negar uma interrupção do Brasileiro entre o fim de junho e o começo de julho, quando a competição continental irá ocorrer.

Os nove clubes que pediram a paralisação do Brasileirão à CBF foram Atlético Mineiro, Athletico Paranaense, Botafogo, Bragantino, Flamengo, Fluminense, Palmeiras, São Paulo e Vasco. As alegações do grupo têm a ver com a grande quantidade de desfalques que os clubes terão durante a Copa América. Especialmente os jogadores estrangeiros, já que há um grande número de atletas sul-americanos que jogam em suas seleções, mas pertencem a essas equipes.

Apesar da sugestão de que as quatro rodadas que acontecem concomitantemente à Copa América fossem trocadas pelas oitavas e quartas de final da Copa do Brasil, a CBF destacou que isto não será possível. De acordo com a entidade, a dinâmica das competições ficaria ,prejudicada já que o Brasileirão ficaria sem rodadas por praticamente um mês inteiro.

Além disso, a entidade sustentou que uma eventual mudança poderia ‘esticar’ a temporada dos eventuais finalistas da Copa do Brasil, o que atropelaria o calendário já visando 2025. Por fim, alegou que os participantes da Copa do Brasil ficariam desfalcados da mesma forma, com seus jogadores na Copa América, em um campeonato de alta premiação financeira.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.