Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

CBF lamenta morte de Amaral, ex-zagueiro da Seleção Brasileira

Amaral entra para a história da Seleção como titular na Copa do Mundo de 1978; ele evitou derrota do Brasil para a Espanha

Jogada 10

Jogada 10|Do R7

Amaral se destacou no Guarani, mas fez sucesso também em clubes como Corinthians e muito destaque na seleção Foto: Divulgação CBF

A CBF emitiu uma nota de pesar por causa da morte do ex-jogador Amaral. Ele morreu na sexta-feira (31/5), aos 69 anos, vítima de câncer, em São Paulo.  Ídolo histórico do Guarani, o ex-zagueiro também atuou em outros clubes. E, para a CBF, ele fica na memória pela atuação na Copa do Mundo de 1978 na Argentina.

Afinal, Amaral foi titular na zaga, fazendo dupla com Oscar, e teve grandes momentos em sua performance. Assim, um deles foi na partida do Brasil contra a Espanha, na segunda rodada da competição. Amaral salvou a Seleção em dois lances seguidos, tirando a bola em cima da linha. Desse modo, evitou a derrota brasileira, já que o placar ficou em 0 a 0, no estádio José Maria Minella, na cidade de Mar del Plata.

CBF destaca técnica de Amaral na Seleção

A técnica apurada de Amaral foi lembrada pelo presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, ao saber da morte do ex-jogador. Dessa maneira, ele destacou uma parceira que entrou para a memória da Canarinho.

“O Amaral foi um grande zagueiro, que se notabilizava pela técnica. Minha maior lembrança dele é vestindo a camisa da Seleção na Copa de 978. Ele formou uma bela dupla com o Oscar”, disse Ednaldo, transmitindo os pêsames à família e aos amigos do craque.

Amaral foi um dos maiores zagueiros do Brasil

Nascido em 21/12/1954 em Campinas (SP), João Justino Amaral dos Santos se formou nas categorias de base do Guarani com 13 anos. Assim, ele se destacou pela habilidade e logo se profissionalizou, ainda na adolescência. Seu último clube foi o Blumenau, em 1987. Pela Seleção Brasileira, ele foi campeão do Torneio Bicentenário dos EUA, Taça do Atlântico, Copa Rio Branco e Copa Roca, todos em 1976. E atuou na Copa de 1978. Ao todo, jogou 56 partidas na Canarinho, entre 1975 e 1980.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.