Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Capitão do Luton Town mostra desfibrilador no corpo

Zagueiro e capitão do time, Tom Lockyer ficou sem batimentos cardíacos por quase três minutos e usa dispositivo para monitorar o coração...

Jogada 10|

Foto: JUSTIN TALLIS/AFP via Getty Images
Foto: JUSTIN TALLIS/AFP via Getty Images Foto: JUSTIN TALLIS/AFP via Getty Images (Jogada 10)

Tom Lockyer, aos 29 anos, já vivia uma vida diferente da maioria das pessoas desde que resolveu jogar futebol profissional. Chegou a capitão do Luton Town, clube que disputa a Premier League, e chegou a fazer gol na competição nacional de maior prestígio no planeta. Esses feitos, entretanto, nem se comparam ao momento que vive agora. Em 16 de dezembro do ano passado, estava em campo contra o Bournemouth quando seu coração parou, literalmente, por dois minutos e 40 segundos.

Fora dos campos desde então, recentemente fez uma cirurgia na qual foi instalado um desfibrilador no seu corpo. O dispositivo monitora seus batimentos cardíacos e está programado para intervir caso ocorram irregularidades: “Esta é a minha marca de batalha”, diz Tom, em entrevista à Sky Sports, ao mostrar a cicatriz e o aparelho.

Capitão explica o funcionamento do dispositivo

“Um fio passa por aqui e se conecta ao meu coração, pronto para disparar, caso necessário. Ele monitora constantemente minha frequência cardíaca e, se ultrapassar certos parâmetros, está configurado para fornecer um choque. A bateria dura cerca de 10 anos, então só precisará ser substituída a cada década. Espero nunca precisar disso, mas é uma medida preventiva”, explica Lockyer.

O incidente durante o jogo contra o Bournemouth não foi o primeiro susto cardíaco que Lockyer enfrentou em campo. Em maio de 2023, durante o jogo que garantiu o acesso do Luton Town à Premier League, o zagueiro também passou por uma situação semelhante.

Publicidade

Naquela ocasião, Lockyer já passou a usar um dispositivo cardíaco que monitorou sua segunda parada cardíaca em dezembro. Embora tenha se recuperado bem nos dias seguintes, Lockyer admite que sua família sofreu mais.

Gratidão pela carreira

“Praticamente morri, mas desde então lido com isso de forma anestesiada. Foi um dia normal e isso é o mais assustador, porque me senti perfeitamente bem. Busco respostas, mas não encontrei nenhuma, pois era apenas mais um dia no escritório”, relata.

Publicidade

Apesar de manter uma rotina de exercícios e tentar manter a forma física, Lockyer ainda não tem certeza se poderá voltar a jogar futebol competitivamente. Todavia, caso isso de fato não aconteça, ainda assim o sentimento do jogador é de gratidão.

“Se eu não puder jogar novamente, posso dizer que fui capitão do Luton na Premier League e marquei um gol na Premier League. Sou muito sortudo por ter experimentado momentos incríveis em minha carreira, e marcar um gol na Premier League é algo com o qual sonhamos desde a infância”, compartilhou.

A Premier League remarcou o jogo entre Luton Town e Bournemouth para o dia 13 de março. Atualmente, o Luton está em 18º lugar na Premier League, com 20 pontos, e enfrenta o líder Liverpool nesta quarta-feira (20).

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.