Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Bruno Gallo relembra passagem pelo Palestino e prevê ‘dificuldade’ para o Flamengo no Chile

Ex-jogador do Vasco, rival do Flamengo, Bruno Gallo vestiu as cores do time chileno em 2021

Jogada 10

Jogada 10|Do R7

Foto: Divulgação / Palestino

O Flamengo não terá uma tarefa fácil na terça-feira (7), quando visita o Palestino em Coquimbo, no Chile, pela Libertadores. Afinal, a equipe carioca não enfrenta um bom momento. Quem também fez esse prognóstico foi o brasileiro Bruno Gallo, ex-jogador do Vasco, que jogou pelo Palestino. Ele falou com exclusividade ao J10.

Para Bruno, que atualmente defende as cores do Niteroiense, o Flamengo terá que lidar com o fator visitante que, segundo ele, é delicado no Chile. Afinal, as equipes locais utilizam muito bem o fator casa.

“Acredito que o Flamengo vai ter uma grande dificuldade neste jogo, até pelo momento em que a equipe está vivendo. No jogos no Chile, geralmente, os times, quando jogam em casa, se sentem mais confortáveis, e utilizam disso”, iniciou Bruno.

“Penso que o Palestino irá querer colocar um alto nível de intensidade no jogo. Com isso o Flamengo terá um pouco de dificuldade na partida”, completou.

Publicidade

LEIA: Conheça a história de Catê, jogador que vestiu as cores de Flamengo e Palestino

Passagem pelo Palestino

Publicidade

Após jogar por Vasco, Chaves-POR e outros clubes, Bruno Gallo assinou com o Palestino em 2021. No entanto, por conta da pandemia da Covid-19, o brasileiro teve dificuldade no clube chileno. Além disso, também teve que lidar com lesões que o impediram de ter uma sequência.

“Quando eu fui para o Chile foi em uma época de pandemia, de quarentena. Naquele período em que os países se fecharam bastante. Só podíamos sair de casa para treinar. Cheguei em fevereiro de 2021, fiquei até julho. Vinha de um tempo parado e tive duas lesões que não me permitiram ter uma sequência de jogos”, explicou.

Publicidade

“Só consegui entrar em duas partidas e não consegui dar continuidade, por conta das lesões”, completou.

Mas, apesar da distância dos torcedores, Bruno Gallo afirmou que conseguiu sentir o carinho do povo chileno pelas redes sociais.

“Tive um carinho na internet, assim que cheguei. Mas acabou que o calor da torcida no estádio eu não conheci, por conta da quarentena. Eram jogos com portões fechados”, resumiu.

Novo desafio

Atualmente, Bruno Gallo defende as cores do Niteroiense, equipe que disputa a terceira divisão do Campeonato Carioca.

“É um sonho que eu tenho há muito tempo. Rodei por bastante países, bastante clubes. Eu vivo em Niterói. Niterói e São Gonçalo é um pouco distante do Rio. Muitos jogadores jovens não conseguem dar continuidade na base, sem uma boa condição financeira para dar continuidade na carreira. Muitos treinam um mês, dois meses, mas não têm dinheiro para ir direto ao Rio para treinar em Flamengo e Vasco, por exemplo, mas também em times menores, como Madureira, Olaria. É bem difícil”, iniciou.

“Então, com esse projeto do Niteroiense, acredito que a gente consiga atender tanto a população de Niterói, quanto de São Gonçalo. Assim, ajudar cada jovem a se tornar jogador de futebol. Que o time comece a Série C do Carioca e, em breve, esteja na Série A”, completou.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.