Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Ary Borges relembra discurso de Marta antes da Copa: ‘Queria viver esse momento’

Ary Borges celebra primeira participação na Copa do Mundo feminina e mira partida decisiva do Brasil contra Jamaica

Jogada 10

Jogada 10|Do R7


Jogada10
Jogada10

Um discurso protagonizado por Marta virou eco na mente das jogadoras do Brasil nos últimos anos. A fala da atacante, por sinal, aconteceu logo depois da eliminação da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2019. Desde então, virou um mantra para esta geração.

“Não vai ter uma Formiga para sempre, uma Marta, uma Cristiane. O futebol feminino depende de vocês para sobreviver. Pensem nisso, valorizem mais. Chorem no começo para sorrir no fim”, disse Marta em 2019.

Momento de Ary Borges

O discurso da atacante, por sinal, marcou muito Ary Borges. A meia da Seleção Brasileira, então, colocou na cabeça que queria participar de uma Copa do Mundo para, enfim, viver esta sensação de perto.

“Acho que todo mundo poderia entender de dois modos. O primeiro era “nossa, está cobrando meninas que ainda nem estão lá, jogando responsabilidade”. E tinha outra forma que é “opa, eu quero ser a menina que vai chorar no começo para sorrir no final”. E foi a forma que eu entendi. Eu precisava me preparar para estar em uma Copa do Mundo. Eu queria viver esse momento, ainda mais com a Marta”, revelou Ary Borges em entrevista concedida para Fifa. Pia analisa estilo de jogo da Jamaica e destaca união do Brasil O momento chegou. Afinal, Ary Borges marcou um hat trick na estreia da Seleção Brasileira na Copa do Mundo e desabou em lágrimas depois da partida. A meia, dessa forma, espera honrar o discurso de Marta com um título do Mundial. Jamaica e Brasil, enfim, se enfrentam em uma rodada decisiva da Copa do Mundo. A Seleção Brasileira, afinal, precisa vencer para avançar às oitavas de final da Copa do Mundo. Para Ary Borges, as jogadoras brasileiras precisam mostrar personalidade dentro de campo.

Publicidade

“A gente tem que se impor. Jogar da forma mais leve possível, mesmo tendo um fator psicológico muito grande. A gente precisa focar naquilo que deixamos de fazer contra a França. É óbvio que temos que analisar a Jamaica, mas acho que precisamos primeiro nos reorganizar como um time para que a gente consiga fazer o que sabemos de melhor”, concluiu Ary Borges.

As duas seleções, aliás, se enfrentam nesta quarta-feira (2), às 7h (Horário de Brasília), no estádio Retangular de Melbourne, pela terceira rodada da fase de grupos da Copa do Mundo.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.