Jogada 10 André revela ter feito tratamento para jogar e pedido de Diniz: ‘Competir mais’

André revela ter feito tratamento para jogar e pedido de Diniz: ‘Competir mais’

Volante diz que treinador tem cobrado ainda mais depois do título da Libertadores e disse que time sentiu o clima diferente do Brasil...

Jogada 10
- Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense

- Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense

Jogada 10

O Fluminense bateu por 2 a 0 o Al Ahly e garantiu a vaga na final do Mundial de Clubes. Assim, o volante André foi eleito o melhor em campo pela Fifa, porém revelou que poderia não ter jogado. em entrevista à ‘Cazé TV’, o camisa 7 agradeceu ao departamento médico e a fisioterapia do clube pelo tratamento intensivo nos últimos dias. Por outro lado, o atleta não revelou o local da lesão.

“Quero aproveitar para agradecer todo o departamento médico e fisioterapia do Fluminense. Desde o jogo do Brasil eu venho sofrendo com algumas dores. Nessa viagem foi um tratamento intensivo todo dia para eu poder treinar bem e estar 100% para atuar hoje. Queria agradecer a fisioterapia, em especial ao Filé e Caio, que viajaram. Além da minha família e Deus”, explicou.

Mais cobranças e mentalidade mais forte

Em campo, André teve que se desdobrar na marcação, visto que o adversário incomodou nas transições ofensivas, em velocidade. Além disso, o volante destacou que depois da conquista da Libertadores, Fernando Diniz aumentou a cobrança em cima dos jogadores.

Na verdade, desde que ganhamos a Libertadores, Diniz focou e cobrou muito mais do que antes e falou que se a gente quisesse conquistar, tínhamos de fazer muito mais do que fazíamos no Brasil. Não fizemos um primeiro tempo excelente. Acho que muito pela adaptação, clima diferente do Brasil, bola diferente e campo mais rápido O time do Egito era muito forte fisicamente. No intervalo, Diniz pediu para a gente competir mais”, disse, antes de completar.

“Desde que acabou a Libertadores, o Diniz cobra muito, mais do que antes. Ele falou que se a gente quisesse conquistar o Mundial o time teria que fazer muito mais do que no Brasil. Não fizemos um primeiro tempo excelente, muito por adaptação, é um clima totalmente diferente do Brasil, bola diferente e campo mais rápido do que a gente está acostumado. O time do Egito é de muita força e físico. Foi tudo diferente para nós. No intervalo, Diniz pediu para a gente se impor mais, fazer nosso jogo, competir mais e deu certo”, frisou.

Próximo compromisso

O Fluminense encara o vencedor do duelo entre Manchester City, da Inglaterra, e Urawa Reds, do Japão. Assim, os dois times se enfrentam nesta terça-feira (19), às 15h (de Brasília). Por fim, a decisão do Mundial de Clubes acontece na sexta-feira (22), às 15h, em Jeddah.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Últimas