Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Amaral marca no Jogo Solidário e elogia a si mesmo: ‘Golaço!’

Conhecido pelo bom humor, Amaral acrescenta: 'Tomara que não tenham errado meu nome. Galvão Bueno me chamou de Paulo Isidoro..."

Jogada 10

Jogada 10|Do R7

Foto: Reprodução de vídeo João Santana

Um dos destaques do Jogo Solidário, realizado neste domingo (26/5)  em benefício das vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul, foi Amaral.  O ex-volante é conhecido pelo bom humor e pelo jeito folclórico. Assim, honrou a fama em dose dupla. Afinal, primeiro fez um belo gol de voleio, marcando seu talento no esporte. Depois, comentou com graça sobre seu feito no gramado.

“Foi um golaço”, exaltou.

Aos 51 anos, além de celebrar a façanha, Amaral ainda torceu para ter sido “reconhecido” em campo.

“Espero que o narrador não tenha errado meu nome, porque da outra vez que eu fiz um gol, o Galvão Bueno confundiu, disse que foi o Paulo Isidoro”, observou, rindo.

Publicidade

Para Cafu, gol de Amaral valeria prêmio

Capitão do pentacampeonato da Seleção Brasileira em 2002, Cafu gostou tanto do gol de Amaral que declarou:

Publicidade

“Era para terminar o jogo ali. O gol mais bonito da carreira dele. É Prêmio Puskás”, disse, referindo-se à famosa premiação de gol mais bonito, concedida anualmente pela FIFA.

Assim, feliz com os elogios, Amaral disse que outro “golaço” é a atitude do povo brasileiro na doação aos gaúchos.

Publicidade

“O público, apesar da chuva compareceu”, elogiou.

Nascido em Capivari (SP) em 28/2/1973, Amaral começou a carreira no Palmeiras, em 1991 e encerrou no Capivariano, em 2015. Ele passou por vários clubes, jogou na Seleção Brasileira e conquistou medalha de bronze nas Olimpíadas de Verão de 1996.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

 

 

 

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.