Esportes Japão decidirá este mês sobre presença de público estrangeiro na Olimpíada

Japão decidirá este mês sobre presença de público estrangeiro na Olimpíada

OLIMP-TOQUIO-ESTRANGEIROS:Japão decidirá este mês sobre presença de público estrangeiro na Olimpíada

Reuters - Esportes

Por Kiyoshi Takenaka

TÓQUIO (Reuters) - O governo do Japão decidirá se vai permitir a presença de torcedores estrangeiros na Olimpíada de Tóquio até o fim de março, disse a ministra da Olimpíada, Tamayo Marukawa, nesta quarta-feira.

Os comentários foram reiterados pela chefe do comitê organizador dos Jogos, Seiko Hashimoto, que disse que gostaria de ter uma decisão até 25 de março.

Pesquisas mostram que a maioria dos japoneses se opõe à realização do evento durante a pandemia de Covid-19.

Mais cedo, o jornal Mainichi noticiou que o governo está planejando proibir torcedores estrangeiros devido ao temor de que eles disseminariam o coronavírus, citando diversas fontes não identificadas.

"Na questão dos torcedores estrangeiros... pessoalmente, quero que seja decidida até o dia 25 deste mês, quando o revezamento da tocha olímpica será iniciado", disse Hashimoto a repórteres após uma reunião virtual com o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, e outros.

"É verdade que a situação é dura dentro e fora do Japão... não seria bom se a entrada deles provocasse preocupação no povo japonês", acrescentoi.

Uma pesquisa do jornal Yomiuri mostrou nesta quarta-feira que, se for para os Jogos acontecerem tal como programados, 91% das pessoas do país querem que os espectadores sejam mantidos em um mínimo ou nem entrem.

A pesquisa realizada entre 18 de janeiro e 25 de fevereiro apontou que 70% dos entrevistados disseram estar "interessados na Olimpíada", mas que 58% disseram que não querem que ela seja realizada neste ano por causa do temor da Covid-19.

Mas esta cifra ficou cerca de 20 pontos percentuais abaixo daquela vista em pesquisas de opinião anteriores.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio foram adiados no ano passado por causa da pandemia e reagendados para começar no dia 23 de julho deste ano.

Últimas