Esportes Havertz revela apreensão ao bater pênalti que definiu o título: 'Estava nervoso'

Havertz revela apreensão ao bater pênalti que definiu o título: 'Estava nervoso'

Kai Havertz viveu uma noite mágica em Abu Dabi neste sábado, 12. O jovem de apenas 22 anos foi o responsável por bater o pênalti que deu o título inédito do Mundial de Clubes ao Chelsea, que venceu o Palmeiras por 2 a 1 na finalíssima da competição. Após o jogo, o atleta exaltou a atuação da equipe e admitiu que estava apreensivo ao ir para a marca da cal com a missão de converter a penalidade.

"É maravilhoso. Após sermos campeões europeus somos campeões mundiais. Acho que nós merecemos muito vencer esse jogo. Eu estava nervoso, tenho de ser honesto. É um grande pênalti. Foi bom que eu mantive os nervos sob controle. Eu sou o terceiro (batedor oficial), mas era o único que estava em campo. Os outros jogadores me deram confiança", disse o atacante.

Havertz fazia exibição discreta até o fatídico lance que definiu o jogo. Aos 8 minutos do segundo tempo da prorrogação, o árbitro Chris Beath assinalou pênalti para o Chelsea, com o auxílio do VAR, após toque de mão do zagueiro Luan. Com Lukaku, substituído, e Jorginho, no banco, o alemão foi para a bola e bateu com categoria no canto direito de Weverton.

"Ele não parecia nervoso, mas claro que estava. Você não tem como não estar nervoso em um momento como esse. Estou feliz por ele", elogiou o técnico Thomas Tuchel.

Essa não é a primeira vez que Havertz é decisivo para o Chelsea. Em maio do ano passado, o jogador fez o único gol do time londrino sobre o Manchester City na final da Liga dos Campeões, o seu primeiro na competição, carimbando o passaporte da equipe para os Emirados Árabes.

Havertz chegou ao Chelsea em 2020 e em pouco tempo se firmou entre os titulares de Tuchel. Para contar com o jogador, o clube inglês pagou 71 milhões de libras (R$ 500 milhões na cotação da época) ao Bayer Leverkusen, da Alemanha, onde o atacante já demonstrava grande potencial, com convocações para a seleção alemã.

Últimas