Esportes Hamilton descarta 'trapaça' na pole e prevê largada espetacular no GP da Hungria

Hamilton descarta 'trapaça' na pole e prevê largada espetacular no GP da Hungria

Lewis Hamilton mais uma vez se viu envolvido em uma polêmica na Fórmula 1. Depois de ter feito sua volta rápida no GP da Hungria, o inglês da Mercedes teve de responder sobre acusações do ex-piloto da Haas, Romain Grosjean, que usou as redes sociais para afirmar que ele teria atrapalhado outros pilotos em realizar um giro bem lento. O heptacampeão do mundo garantiu que não fez nenhuma trapaça, se defendeu e preferiu avaliar a corrida, da qual prevê bela disputa e espetacular largada.

Depois de confirmar o melhor tempo pela oitava vez na Hungria, igualando recordes de mais poles em uma única pista com ele mesmo, em Melbourne, Michael Schumacher, em Suzuka e Ayrton Senna, em Ímola, o inglês teve primeiro de se defender. Queria fazer festa pela marca importante e se viu na parede.

Hamilton fez 1m15s419, 0s315 à frente do companheiro de equipe, Valtteri Bottas, e 0s421 de distância do rival Max Verstappen. Mesmo bem melhor, teve de dar explicações, já que Grosjean disse "não ser bonito" caso tenho saído para volta deliberadamente bem lento para prejudicar os adversários. "Se isso foi feito de propósito, não é bonito". Hamilton rebateu: "É tão bobo. Todo mundo estava indo devagar, você não olhava todo mundo? Não entendo."

Foi além. "Você acha que eu poderia ter ido mais rápido e, em seguida, ficado mais perto do Valtteri?", questionou. "Todo mundo estava fazendo uma volta lenta, não foi diferente de nenhuma outra volta. Claro, cada vez que saímos, estamos tentando preparar os pneus e mantê-los mais frios, porque ficam muito quentes durante a volta", falou. "Então eu não estava jogando nenhuma tática. Eu não preciso jogar nenhuma tática. Eu sei o que estou fazendo no carro e sou rápido o suficiente, não preciso adicionar táticas. Aqueles que estão fazendo os comentários realmente não sabem nada sobre o trabalho que estamos fazendo aqui. Provavelmente é por isso que eles não estão dirigindo."

Cabeça no lugar, fez uma avaliação do que o público pode esperar na Hungria, sobretudo na largada, já que a reta longa em Hungaroring e ele vê os pilotos da Mercedes e da Red Bull em condições iguais de pular na ponta.

"Isso (pole) não é nem metade do trabalho", disse Hamilton, que está oito pontos atrás de Verstappen na classificação. "Amanhã será uma longa corrida, não sabemos como está o tempo à nossa volta. É um circuito muito desafiador e os quatro primeiros terão bela batalha. Temos uma longa corrida até a curva 1, então será um desafio, especialmente se as temperaturas forem assim. Portanto, deve ser uma corrida emocionante."

Últimas