Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Escândalo de apostas: STJD bane mais um jogador do futebol e aumenta pena de Nino Paraíba

Por aproximadamente oito horas, o Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva julgou o recurso de 12 jogadores

Futebol|Do R7


Diego Porfírio foi banido do futebol
Diego Porfírio foi banido do futebol

Por aproximadamente oito horas, o Pleno do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) julgou, nessa quinta-feira (28), o recurso de 12 atletas que haviam sido punidos por manipulação de resultados no futebol brasileiro na Operação Penalidade Máxima.

Apesar de reduzir algumas penas impostas no dia 9 de agosto, o tribunal foi ainda mais rigoroso em alguns casos. Réus confessos, Alef Manga e Nino Paraíba tiveram sentenças distintas. O lateral que estava no Paysandu viu a pena de 480 dias de suspensão aumentar para 720 dias, e a multa de R$ 40 mil agora será de R$ 100 mil.

No caso do atacante, ex-Coritiba, os 360 dias de pena foram mantidos, mas a multa, que era de R$ 30 mil, subiu para R$ 50 mil, apesar da recomendação de que fosse de R$ 100 mil.

Além dos dois, foram julgados outros dez jogadores. Diego Porfírio, ex-lateral esquerdo do Coritiba e que estava no Desportivo Aliança-AL, foi banido do futebol e multado em R$ 60 mil. Antes, o jogador havia sido punido por 360 dias e R$ 70 mil. Pedrinho, Sidcley e Jesus Trindade foram absolvidos, enquanto Tonny Anderson teve a multa de R$ 40 mil mantida — foi sugerida uma punição de 720 dias.

Publicidade

Dadá Belmonte, do América-MG, teve a pena de 720 dias reduzida para 600 dias em adaptação do Pleno do STJD, com multa mantida de R$ 70 mil. Vitor Mendes, do Atlético-MG, também teve punição aumentada. Os 430 dias iniciais se transformaram em 720 dias, com a manutenção da multa de R$ 70 mil. Sávio continua fora dos gramados por 360 dias e com obrigação de pagar R$ 30 mil.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia no Telegram

Igor Cairús, do Sport, viu sua sentença ser reduzida após troca de voto de última hora do auditor Ivo Amaral. Então punido por 540 dias, que seriam mantidos, acabou penalizado em "somente" 360 dias. Terá de pagar, ainda, R$ 40 mil — antes seriam R$ 50 mil. Por fim, Bryan, ex-Athletico-PR, teve os 360 dias mantidos, mas não será multado mais em R$ 30 mil, e sim em R$ 50 mil.

Publicidade

Nino Paraíba se tornou réu confesso por aceitar dinheiro em troca de levar cartão amarelo em três jogos do Paysandu ao ir à CPI do futebol. Apesar de "colocar a cara a bater para todo o país", palavras do auditor Paulo Feuz, o relator da sessão extraordinária aumentou a pena em 240 dias pela "falta de ética no esporte".

"Apesar do auxílio e da confissão, a atitude não condiz com a ética do esporte. Ele deve ser 'sancionado'. Conheço os recursos, mas peço para punição de 720 dias e multa de R$ 100 mil reais. Apesar de louvável, a atenuante será desconsiderada, pois aceitou benefício por três vezes", anunciou Paulo Feuz.

Os auditores Luis Felipe Boulos, Maurício Neves, Sergio Martinez, Adriene Hassen e o presidente José Perdiz votaram com o relator, confirmando a pena de 720 dias. Felipe Bevilacqua optou por 540 dias, enquanto Ivo Amaral manteve os 480.

Último a ser julgado, Thonny Anderson, atleta do ABC-RN, colocou os auditores para enorme debate. Antes punido apenas financeiramente em R$ 40 mil, acusado de ser um intermediador, o relator do STJD sugeriu aplicação de pena de 720 dias e R$ 70 mil de multa.

A defesa de Thonny Anderson havia dito que o jogador recebeu o dinheiro como "um patrocínio". Mas o jogador não conseguiu provar em mensagens nem documentos. Teria sido dinheiro pago para que fosse repassado a companheiros, um "ato infracional" para o qual Paulo Feuz queria punição severa. Mas, por maioria, foi mantida a multa de R$ 40 mil.

Confira as punições

Nino Paraíba – 720 dias e R$ 100 mil

Bryan – 360 dias e R$ 50 mil

Diego Porfírio – eliminação e multa R$ 60 mil

Igor Cairús – 360 dias e R$ 40 mil

Alef Manga – 360 dias e R$ 50 mil

Vitor Mendes – 720 dias e R$ 70 mil

Sávio – 360 dias e R$ 30 mil

Pedrinho – absolvido

Sidcley – absolvido

Tonny Anderson – R$ 40 mil

Jesus Trindade – absolvido

Dadá Belmonte – 600 dias e R$ 70 mil

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.