Futebol Santos frustra torcedores do começo ao fim da temporada

Santos frustra torcedores do começo ao fim da temporada

Time quase cai no Paulista, faz participação de figurante em copas e termina Brasileirão com colocação pior do que a de 2021

  • Futebol | Do Live Futebol BR

Torcedor santista vê vitória do Corinthians na Vila Belmiro: 1 a 0 pelo Brasileirão em 22/10

Torcedor santista vê vitória do Corinthians na Vila Belmiro: 1 a 0 pelo Brasileirão em 22/10

Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

2022 pode ser considerado um ano de frustração para o torcedor do Santos. De novo. O clube terminou o Campeonato Brasileiro pior do que em 2021: 12º colocado, com 47 pontos, contra 10º, com 50, da edição nacional anterior. Sem contar que, no Paulistão, quase caiu para a série A2 pelo segundo ano seguido. Aliás, o time não passa da fase de grupos do estadual desde 2020.

A temporada também foi marcada por uma humilhante eliminação nas oitavas de final da Copa Sul-Americana, em plena Vila Belmiro, nas cobranças de pênaltis com os venezuelanos do Deportivo Táchira.

Sem títulos desde que foi campeão paulista em cima do Audax, em 2016, o Peixe igualmente derrapou na maior parte dos 13 reforços do período. Alguns pouco atuaram. O meia-atacante Bruno Oliveira, primeiro a ser anunciado, ainda em janeiro, por empréstimo junto à Caldense (MG), esteve em campo em apenas 23 partidas e não marcou gols.

Vexame e ‘dança das cadeiras’
Lembrando que o Santos também disputou a Copa do Brasil – na qual foi eliminado pelo Corinthians nas oitavas.

E com um vexame adicional no jogo decisivo, na Vila Belmiro, em 13 de julho: invasão de gramado por torcedores santistas e agressão ao goleiro Cássio. O Peixe até venceu a partida por 1 a 0, mas caiu por conta do 4 a 0 do jogo de ida.

No quesito “técnico”, o Peixe também patinou em suas escolhas. Demitiu Fábio Carille, contratou Fabián Bustos; demitiu Bustos, contratou Lisca; demitiu Lisca e apostou no interino Orlando Ribeiro. No meio do caminho, o ex-auxiliar Marcelo Fernandes assumiu o posto entre um e outro. Ninguém conseguiu superar 51% de aproveitamento no cargo. O último a atingir tal patamar foi Cuca.

Além disso, o presidente Andres Rueda demitiu dois executivos de futebol – Edu Dracena e Newton Drummond – e o posto seguia vago nas últimas horas. Assim como continua indefinido o futuro do Peixe após mais um ano para esquecer.

Guia da Copa: confira ranking da Fifa, participações e melhor desempenho dos 32 países

Últimas