Futebol Palmeirenses e flamenguistas podem gastar até R$ 5 mil para assistir à final da Supercopa

Palmeirenses e flamenguistas podem gastar até R$ 5 mil para assistir à final da Supercopa

Maioria dos torcedores precisa de deslocamento para chegar a Brasília e só passagens aéreas estão até cinco vezes mais caras do que o valor cobrado normalmente

  • Futebol | Isabella Pugliese Vellani*, Do R7

Resumindo a Notícia

  • Torcedores que pretendem ir a Brasília podem gastar de R$ 2.160 a R$ 5.000
  • Passagens aéreas custam até cinco vezes mais do que o valor convencional
  • Viagem Rio de Janeiro/Brasília é ainda mais cara que a São Paulo/Brasília
  • Ingressos vão de R$ 198 até R$ 998, no setor com mais conforto do estádio Mané Garrincha
Último jogo em que Palmeiras e Flamengo se enfrentaram foi em agosto de 2022 pelo Brasileiro

Último jogo em que Palmeiras e Flamengo se enfrentaram foi em agosto de 2022 pelo Brasileiro

Reprodução/Instagram/ @palmeiras

Os torcedores que pretendem ir ao Estádio Mané Garrincha, em Brasília, para assistir à final da Supercopa do Brasil entre Palmeiras e Flamengo, vão precisar desembolsar um bom dinheiro. Só os ingressos podem custar até R$ 1.000 e os turistas ainda devem arcar com as despesas de transporte, hospedagem e alimentação — que estão acima da média para a cidade.

De acordo com uma cotação feita pela agente de viagens Regina Meidas Sábio a pedido do R7, as passagens aéreas estão cinco vezes mais caras do que a média. De São Paulo para Brasília, de sexta-feira (27) a domingo (29), os voos custam R$ 2.000. Se a origem for o Rio de Janeiro, centro da torcida flamenguista, o valor sobe para R$ 3.500.

Em fevereiro e março, quando a capital brasileira não recebe eventos que atraem público, o valor da ponte aérea cai para R$ 400.

Os preços de hospedagem para um adulto vão de R$ 120 a R$ 530. Na época da Supercopa, a despesa de hotelaria é de R$ 160 a R$ 570.

Rodrigo Cunha, torcedor de 22 anos do time carioca, costuma acompanhar as decisões do Flamengo. Em 2019, apoiou o clube no Peru, na final da Libertadores, e em Doha, no Catar, na decisão do Mundial de Clubes da Fifa.

Em 2022, viajou para Guaiaquil, no Equador, para assistir a mais uma final da competição sul-americana.

Por mais que goste de estar nas arquibancadas, o flamenguista não tem certeza se comparecerá na decisão de Brasília. Ele não se sente confortável com a segurança da cidade, que no dia 8 de janeiro foi atacada por manifestantes, e considera elevados os preços de hotéis para um fim de semana.

"O hotel é um problema. Mas, como o jogo é no sábado, o que poderia ser feito é chegar no dia do jogo e ir embora no mesmo dia, para evitar os preços", argumenta. "Minha dúvida é ir para uma cidade que vive um momento muito conturbado, para assistir um jogo que pode também ter alguma manifestação. Me preocupa sim ir para lá [Brasília] neste momento", finaliza.

Sem ingresso, nenhum torcedor entra no estádio. Assim, é preciso somar aos gastos de passagens e hotel o valor da entrada, que começou a ser vendida nesta terça-feira (17). Apesar da separação das arquibancadas, para manter a segurança da torcida dos dois clubes, o valor cobrado é o mesmo.

A meia-entrada mais em conta é a Cadeira Superior Norte/Sul, que custa R$ 99, e a mais cara é a Hospitality Leste/Oeste, vendida por R$ 499. O valor inteiro dos ingressos da Cadeira Superior Norte/Sul é R$ 198. Caso o torcedor priorize o conforto, ele pode gastar até R$ 998 por um lugar na Hospitality Leste/Oeste.

A partir dos valores apresentados, um torcedor pode gastar de R$ 2.160 a R$ 5.000 para ir a Brasília e assistir à final da Supercopa.

Para a palmeirense Marina Verruma, a demora da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) em divulgar os detalhes do evento prejudicou o planejamento dos torcedores para viajar a Brasília. A entidade anunciou a sede do jogo no dia 11 de janeiro, pouco mais de duas semanas antes da partida.

"Com toda essa demora, fica ainda mais inviável programar a viagem com tão pouco tempo e aumento da demanda por hospedagem e passagem", afirma. 

Por mais que a diretoria do Verdão aumente os preços dos ingressos para os jogos decisivos, a torcedora explica que o desconto de sócio-torcedor ajuda no custo final. No entanto, os preços seguem inviáveis para a maior parte da torcida.

Rodrigo Wirth, também palmeirense, acredita que a realidade trazida da Europa pelos grandes clubes do país não cabe no orçamento do brasileiro.

"Ingressos caros não ajudam os torcedores, mesmo com a premissa de um grande jogo, pois gastamos com o deslocamento, hotelaria, alimentação e entradas para o evento", comenta.

O jogo entre Palmeiras e Flamengo pela Supercopa acontece no próximo sábado, 28 de janeiro, às 16h30. Após considerar a realização da partida em diversas cidades do Brasil e do exterior, a Arena BRB Mané Garrincha, em Brasília, foi escolhida para ser o palco da decisão. Desde 2019 as edições acontecem na capital brasileira.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Carla Canteras

Mercado da bola: confira as negociações do seu clube para 2023

Últimas