Organizadores do GP de F-1 dizem que punição da Wada não afetará prova na Rússia

Os organizadores do GP da Rússia de Fórmula 1 afirmaram nesta segunda-feira que a suspensão ao esporte russo por um período de quatro anos não vai atrapalhar a realização das corridas planejadas até 2025, quando se encerrará o atual contrato russo com os donos da F-1.

Mais cedo, nesta segunda, a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) anunciou suspensão por quatro anos ao esporte russo. Entre outras consequências da decisão, o país ficou proibido de sediar eventos esportivos de nível mundial por este período, em razão de sucessivos casos de doping e fraudes em exames realizados nos últimos anos.

"O contrato com a etapa russa da Fórmula 1 foi assinado em 2010, muito antes das circunstâncias investigadas pela Wada", anunciaram os organizadores do GP russo, em comunicado. "O contrato é válido até 2025, e a etapa da Rússia está garantida no calendário da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) em 2020."

Com a punição, o país não disputará os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, no Japão, e os Jogos de Inverno de Pequim-2022, na China, além de outros grandes eventos esportivos, o que inclui a Copa do Mundo de 2022, no Catar.

Já a Eurocopa de 2020 não corre perigo de perder São Petersburgo como uma das 12 sedes, pois não está categorizada no grupo de competições restringidas. O mesmo vale para a final da temporada 2020/2021 da Liga dos Campeões da Europa, marcada para a mesma cidade russa em junho de 2021. As duas competições são organizadas pela Uefa, que, além disso, não é signatária da Wada.

Isso, contudo, não se aplica à FIA, que é reconhecida como entidade representativa do automobilismo pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) e é signatária dos códigos antidoping da Wada.

Mesmo assim, os responsáveis pelo GP russo demonstram confiança. "Não há qualquer possibilidade legal ou técnica de ficarmos sem a corrida ou transferi-la para outro país. Estamos confiantes de que o GP da Rússia vai acontecer em 2020 e nos anos seguintes", declararam.

O GP russo é realizado desde 2014 num traçado construído dentro do Parque Olímpico que recebeu os Jogos de Inverno de Sochi, naquele mesmo ano. Esta Olimpíada ficou marcada justamente pelos casos de doping russo que foram mascarados com apoio da organização local e até por membros do governo.