Futebol Martine Grael e Kahena Kunze conquistam o ouro no evento-teste para Tóquio-2020

Martine Grael e Kahena Kunze conquistam o ouro no evento-teste para Tóquio-2020

Campeãs olímpicas no Rio-2016, as brasileiras Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram nesta quarta-feira um título importante na luta para repetir o feito nos Jogos de Tóquio-2020, no Japão. Apenas 11 dias depois de conquistar a medalha de ouro no Pan de Lima, no Peru, a dupla venceu o Read Steady Tokyo, o evento-teste para a Olimpíada, em Enoshima, na mesma raia que será utilizada nas competições de vela no ano que vem.

Depois das 12 regatas da fase de classificação, Martine Grael e Kahena Kunze entraram na "medal race" (regata da medalha) na segunda colocação geral, com 51 pontos perdidos - apenas um a mais do que as britânicas Saskia Tidey e Charlotte Dobson. Com um terceiro lugar e um desempenho pior das rivais - terminaram em sexto -, as brasileiras ganharam o evento-teste com 57 pontos perdidos.

Por conta do desempenho ruim na regata final, as britânicas acabaram perdendo inclusive a prata. Elas foram ultrapassadas pelas norueguesas Helene Naess e Marie Ronningen, que começaram o dia em quarto lugar, venceram a "medal race" e ficaram com o segundo lugar na classificação geral com os mesmos 62 pontos de Tidey e Dobson, mas tendo a seu favor a vitória na última etapa como critério de desempate.

"Não só corremos esse campeonato super cansadas fisicamente como mentalmente. O que faz cada erro mais difícil de superar. Não descontar uma na outra e concentramos para a próxima regata", contou Martine Grael, nas redes sociais.

"Na nossa Medal Race, depois de uma largada escapada, voltamos, mantivemos a serenidade e o resultado foi só recuperação! Conseguimos não só uma medalha no evento teste, como a de ouro, que deu um gostinho super especial depois dessa semana tão suada. Contar que ela (Kahena) aguentou bravamente os dias mais duros, mar grande de um final de tufão, dia de 4 regatas de 3 voltas, calor intenso e ainda adaptando ao fuso! Admiração braba, Kahena", concluiu a filha de Torben Grael.

OUTROS RESULTADOS - O Brasil competiu nesta quarta-feira em mais quatro classes e em três classificou atletas para as "medal races". Na Laser, Robert Scheidt passou em 10.º lugar com 105 pontos perdidos - está a 40 do terceiro colocado, o norueguês Hermann Tomasgaard, e a 60 do líder da fase de classificação, o sueco Jesper Stalheim.

Esta será a primeira "medal race" de Scheidt em seu retorno às grandes competições na Laser, após "bater na trave" nos três campeonatos anteriores (Troféu Princesa Sofia, Semana de Vela de Hyères e Mundial). "Um objetivo está cumprido, que é fazer a primeira regata da medalha de 2019. Eu gostaria de entrar na raia do evento-teste para a Olimpíada melhor classificado, mas o importante é seguir em frente, evoluindo rumo aos Jogos de Tóquio-2020", avaliou.

Scheidt garantiu a última vaga na "medal race" após um dia difícil em Enoshima. "O vento estava muito fraco e, infelizmente, não consegui executar bem as largadas, que foram o ponto chave nas duas regatas. Tentei ainda recuperar, mas não tinha muita opção. Com isso, acabei fazendo 18.° e 19.°. Porém, apesar do dia ruim em termos de resultado, consegui me manter no Top 10, caindo de oitavo para 10.º lugar. Agora é tentar subir um pouco mais. Pelas minhas contas, dá para chegar até em oitavo. O nível aqui é altíssimo", explicou.

Na 470 feminina, Ana Barbachan e Fernanda Oliveira entram na "medal race" com a sexta colocação somando 18 pontos perdidos a mais do que as líderes. E na Finn, Jorge Zarif entra em oitavo somando 62 pontos perdidos a mais do que o primeiro colocado. Na 470 masculina, Gustavo Thiesen e Geison Mendes fecharam a fase de classificação na 12.ª colocação.