Futebol Liberado, Isla pode entrar para a história do futebol chileno

Liberado, Isla pode entrar para a história do futebol chileno

Bicampeão da Copa América com o Chile, lateral se recuperou de lesão e vai em busca da Libertadores com o Flamengo

  • Futebol | Do Live Futebol BR, em Montevidéu, no Uruguai

Recuperado de lesão, Isla pode alcançar feito histórico se vencer a final da Libertadores

Recuperado de lesão, Isla pode alcançar feito histórico se vencer a final da Libertadores

Alexandre Vidal / Flamengo

Baixa no primeiro treino do Flamengo em Montevidéu, o lateral direito Mauricio Isla participou da atividade desta quinta-feira (25) no gramado do estádio Campeón del Siglo e deve ser confirmado como titular na decisão da Copa Libertadores da América deste sábado (27), contra o Palmeiras.

Recuperado de desconforto muscular e à disposição do técnico Renato Gaúcho, o jogador pode entrar para a história como o primeiro de seu país a levantar a taça das duas maiores competições do continente.

Bicampeão da Copa América com o Chile, Isla é um dos principais nomes da geração que garantiu os títulos para La Roja em casa em 2015 e no ano seguinte, em 2016, na edição do Centenário. Mas está a uma final de ser o único de sua geração, que tinha (e ainda tem!) Bravo, Medel, Arturo Vidal, Sanchez e Vargas, a ter um título de Libertadores no currículo.

A verdade é que o chileno, hoje com 33 anos, jamais teve oportunidade de disputar a Libertadores antes de chegar ao Flamengo, em 2020. A campanha da temporada passada, que parou nas oitavas de final com a eliminação para o Racing (Argentina) nos pênaltis, em pleno Maracanã, foi a primeira dele na maior competição do continente.

Formado nas categorias de base da Universidad Católica, Isla sequer atuou no time principal e foi contratado pela Udinese, em 2007, após se destacar na campanha que garantiu o terceiro lugar para o Chile no Mundial Sub-20.

Da Udinese foi para a Juventus, depois passou pelo Queens Park Rangers, da Inglaterra, Olympique de Marseille, da França, voltou à Itália para jogar no Cagliari, até passar pelo Fenerbahçe, da Turquia, e desembarcar no Flamengo, quando foi contratado para assumir o posto de Rafinha.

Neste sábado, no Estádio Centenário, palco da primeira Copa do Mundo, Isla terá a chance de escrever mais uma vez seu nome no futebol chileno e também na história do clube mais popular do Brasil.

Escalação

Renato Gaúcho não é de fazer surpresas, ou pelo menos não tem sido responsável por promover alterações de última hora desde que chegou ao Flamengo – salvo em caso de lesões, claro.

Quando ainda havia dúvida sobre a liberação de Isla, o técnico escalou Rodinei como titular no último jogo do Rubro-Negro pelo Campeonato Brasileiro, o empate por 2 a 2 com o Grêmio na última terça-feira (23).

“Eu não poderia arriscar em colocar em campo o Matheuzinho, porque vai que dá uma zebra e o Isla não pode jogar e o Matheuzinho sofre alguma lesão hoje (terça)”, afirmou o técnico em entrevista coletiva após o duelo em Porto Alegre.

Com a liberação do chileno, é improvável que Matheuzinho comece jogando contra o Palmeiras.

Além de Isla, o zagueiro Rodrigo Caio também não participou do primeiro treino em solo uruguaio, na quarta-feira, mas treinou normalmente na quinta e deve ser titular ao lado de David Luiz. Voltando de lesão, Arrascaeta, Pedro e Bruno Henrique estão confirmado e o único desfalque do Flamengo será o zagueiro reserva Léo Pereira, suspenso pelo acúmulo de cartões amarelos.

A expectativa é de que Renato Gaúcho aposte no retorno de Arrascaeta logo de início, deixando Michael, destaque do time nos últimos jogos, como opção no banco de reservas. A provável escalação do Flamengo tem: Diego Alves; Isla, Rodrigo Caio, David Luiz e Filipe Luís; Willian Arão, Andreas Pereira, Éverton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol.

Veja grandes contratações no futebol brasileiro que deram errado

Últimas