Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Jorge Jesus nega contato com a CBF, mas questiona: 'Quem não gostaria de treinar a seleção brasileira?'

O treinador português revela que aceitaria um convite para assumir a canarinho; favorito ao cargo, Ancelotti teria dito ao Real que não aceitaria a posição 

Futebol|Do R7

Jorge Jesus durante jogo do Fenerbahçe, nesta temporada
Jorge Jesus durante jogo do Fenerbahçe, nesta temporada Jorge Jesus durante jogo do Fenerbahçe, nesta temporada

O treinador Jorge Jesus se pronunciou nesta segunda-feira (27) depois que algumas publicações de Portugal revelaram que o “Mister” é uma das opções cotadas pela CBF para assumir a seleção brasileira.

Em entrevista à SportTV, o treinador do Fenerbahçe, da Turquia, disse não ter recebido nenhum contato, mas, caso haja um convite, aceitaria treinar a canarinho.

"Quem não gostaria? Há algum treinador no mundo que não gostaria de treinar o Brasil? Ninguém falou comigo. O meu contrato [com o Fenerbahçe] acaba em maio, depois vamos ver o que vai acontecer. Só tomo decisões quando acabar a temporada, é assim que faço sempre, não irei tomar decisões agora. Em breve anuncio se fico na Turquia ou não", explicou Jesus ao canal português.

Com contrato até o fim da temporada europeia, em junho deste ano, Jorge Jesus já indicou que não vai renovar com o clube turco. No campeonato nacional, o Fener ocupa a segunda colocação e, da Liga Europa, foi eliminado nas oitavas para o Sevilla.

Publicidade

O treinador, que marcou época no Flamengo na temporada de 2019, quando conquistou a Libertadores e o Brasileirão pelo clube carioca, chegou a repetir durante a entrevista que gostaria de treinar a seleção.

“Quem não gostaria de treinar a seleção brasileira? Só se estivesse treinando o Real Madrid ou o Barcelona. Se estou disponível para assumir uma seleção? Poucas, mas pode ser uma hipótese.”

Publicidade

No início desta semana, o Record, de Portugal, afirmou que a CBF enviou o ex-goleiro Júlio César a Lisboa, a capital do país europeu, como representante da Confedereção, para conversar com Jorge Jesus sobre a posição de treinador da seleção, vaga desde a saída de Tite, após a Copa.

Pelas redes sociais, Júlio César negou ter intermediado a suposta negociação entre Jesus e CBF.

Publicidade

"Quero esclarecer ainda que, primeiramente, ninguém da CBF solicitou a mim qualquer tipo de ajuda ou intermediação nessa direção. Reitero que não sou representante da entidade. Sou apenas um atleta que fez sua carreira profissional na seleção brasileira, onde tenho ótimos amigos", escreveu o ex-jogador da Inter de Milão na publicação.

Segundo Cosme Rímoli, colunista do R7, o treinador do Real Madrid, Carlo Ancelotti, o preferido da CBF para assumir, teria dito ao clube espanhol que não vai aceitar o cargo na seleção brasileira.

E, caso possa continuar a morar na Europa, Jesus é considerado o "plano B" do presidente Ednaldo Rodrigues. Uma terceira possibilidade seria Abel Ferreira, do Palmeiras.

Paulistão vira trampolim para jogadores se transferirem para as Séries A e B; veja as negociações

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.