Fora da seleção, dupla se desculpa por levar mulheres à concentração

Revelações da Inglaterra, Phil Foden e Mason Greenwood pediram desculpas após quebrarem protocolos de segurança e serem cortados

Jogadores foram cortados após levar mulheres para hotel onde estavam hospedados

Jogadores foram cortados após levar mulheres para hotel onde estavam hospedados

Carl Recine/Reuters

Um dia depois de serem cortados da seleção da Inglaterra por levarem mulheres ao hotel onde a equipe estava concentrada em Reykjavík, capital da Islândia, onde a equipe jogou no último sábado contra o time nacional local, pela Liga das Nações da Uefa, Phil Foden e Mason Greenwood, duas revelações do país, pediram desculpas nesta terça-feira (8) pela atitude.

Os dois, que fizeram suas estreias na seleção contra a Islândia, foram cortados da seleção da Inglaterra por quebrarem os protocolos de saúde e segurança impostos pelas autoridades locais na prevenção contra o novo coronavírus ao terem um vídeo publicado nas redes sociais no qual aparecem com duas mulheres no quarto do hotel da concentração.

Fora da seleção, os dois não vão enfrentar nesta terça-feira a Dinamarca, em Copenhague, pela segunda rodada do Grupo 2, e terão de se apresentar aos seus clubes - Foden, de 20a nos, atua pelo Manchester City, enquanto que Greenwood, de 18, joga no Manchester United.

"Depois do alvoroço que ocorreu devido às minhas ações na Islândia, quero pedir desculpas. Peço desculpas a (técnico) Gareth Southgate, meus companheiros de equipe ingleses, aos torcedores, ao meu clube e para minha família. Sou um jovem jogador com muito a aprender, mas estou ciente da grande responsabilidade que tenho de representar o Manchester City e a Inglaterra a este nível. Eu violei o protocolo da covid-19 que é para proteger a mim e aos meus colegas. Portanto, agora vou perder a oportunidade de viajar para a Dinamarca e isso me machuca. Mas vou aprender uma lição adequada com este erro e desejar a Gareth e meus colegas boa sorte esta semana", escreveu Foden em suas redes sociais.

Veja mais: Boateng gasta R$ 1,1 mi em joia para festejar aniversário e Champions

O mesmo tom foi adotado por Greenwood em suas desculpas. "Tendo agora tido a oportunidade de refletir sobre o que aconteceu, só posso pedir desculpas a todos pelo constrangimento que causei. Fui irresponsável da minha parte em quebrar os protocolos da covid-19 que existem para proteger os jogadores, funcionários e o público. Em particular, quero pedir desculpas a Gareth Southgate por tê-lo decepcionado quando ele demonstrou grande confiança em mim. Jogar pela Inglaterra foi um dos momentos de maior orgulho da minha vida e só posso culpar a mim mesmo por esse grande erro. Prometo à minha família, aos torcedores, ao Manchester United e à Inglaterra que esta é uma lição com a qual aprenderei", disse.

A direção do Manchester United emitiu uma nota na qual diz estar "desapontada" com a conduta de Greenwood, enquanto que o City afirmou ser uma atitude "totalmente imprópria" de Foden.

Uma das garotas deu entrevista para o portal DV, da Islândia, mas não quis se identificar. "Nós não tínhamos ideia sobre essas regras ou protocolos e eles não disseram que não podíamos fazer imagens", revelou.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

No estilo! Confira novos uniformes dos times europeus para temporada